Blogs de Portugal

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

Agora

Resultado de imagem para AGORA DIZ MEAgora diz-me
Como é que eu
Te vou dizer adeus
Depois de toda esta história vivida,
Diz-me como vou sobreviver
Depois do dia da tua partida.

Como é que eu vou olhar
Para outro sabendo
Que ninguém és tu,
Como é que me vou deitar
Na cama vazia
Sem o teu corpo
À minha espera,
Foste-te embora
E agora levaste
Contigo a Primavera.

Como é que se vive
Sem ti?
Ensina-me!
Eu sempre vivi
Presa a ti,
Éramos só um
E agora não somos ninguém
Olha só mas que bem.

segunda-feira, 12 de agosto de 2019

Uma da manhã


Resultado de imagem para mulher de coração partido
Uma da manhã
Mais uma vez só
Agarrada a este caderno,
A minha única salvação,
Já virou praxe escrever
Quando me dói o coração,
Será maldição,
Ou lição de vida?
Dizem para ter calma
Mas eu já vi de tudo
Menos a saída.

O que a vista alcança
Corrói-me por dentro,
Quando a cabeça
Não tem juízo
É quando sofres
Um contra-tempo,
Mas ainda há tempo
Não me vou deitar
Aqui no meio do asfalto,
Sofro porque te amo,
Sim, é isso,
Não ouviste?
Queres que diga mais alto?

Chama-me de louca,
Diz-me que não me reconheces,
Na verdade nem eu
Sou capaz de o fazer,
Só não me atires
Areia para olhos
Pois mesmo assim
Eu sou capaz de ver,
E como o outro diz,
"Quem não vê apalpa"
Se queres ir embora vai,
Já nem me fazes falta.

Mantém-te atento
Aos sinais que a vida
Te dá,
Para ti sempre fui substituível
Mas um dia
Que me queiras de volta
Não me terás,
Chama-me de má,
Mas não voltarei atrás.

Um dia verás
Que nunca ninguém
Te dará,
O que eu um dia dei,
Mas ironia da história,
Na tua boca
Fui eu que errei.

Despeço-me de ti...

domingo, 11 de agosto de 2019

Já devia

Resultado de imagem para coração despedaçadoJá devia ser normal
Para mim a tua ausência,
Mas quando penso
Na nossa situação,
Foge-me a paciência,
É mais forte do que eu,
Não me digas
Que só vejo o meu lado
Quando sabes
Que sempre vi o teu.

Hoje deitada neste terraço
Onde me desfaço,
Sempre que penso em nós,
Olho para o espaço
Estamos distantes,
Estamos tão sós.

Procuro à noite
Um pedaço de ti,
A olhar para o céu estrelado
Peço
Que a minha estrela guia
Te ponha aqui
Junto a mim,
Nos meus braços,
Junta-te a mim!
Colaremos todos
Os restantes pedaços
Recomeçaremos uma história
Sem fim.

sábado, 10 de agosto de 2019

Já é tarde

Resultado de imagem para ja é tardeSei que já é tarde,
A noite já vai a meio
O copo chegou ao fim,
Não sei o que faça à vida
Agora que caí em mim.

O bar chegou.
Depois de tantos copos
A ferida permanece aberta,
Sei que deveria
Ter tido mais calma
Mas com sentimentos
Nunca soube ser esperta.

Por muito difícil
Que pareça,
Ainda estou em pé
Apesar das voltas
Que a minha cabeça dá,
O álcool corre-me
No sangue,
Sempre soubeste
Que para mim
Não é a água
Que é vida,
Prendi-me às garrafas
Depois do dia da tua partida.

Vodka?
Whisky?
Eu bebo e bebo
E não te esqueço,
Só te vejo a multiplicar,
Bebo para te esquecer,
E acabo sempre
Por te imaginar.

Onde estás?
Vem-me buscar,
Não me deixes aqui sozinha
No meio da escuridão,
És o meu fim
Mas também
A minha última salvação.

Leva-me!

quinta-feira, 8 de agosto de 2019

Larga

Resultado de imagem para largaSe não te toca,
Se não te faz duvidar,
Se não te provoca,
Se não te faz lutar,
Rasgar a roupa
E atirar a toalha
Ao chão,
Larga.

Se não te aquece
E também está longe
De vir a aquecer,
Se não te desafia,
Se não te faz ir à procura,
Larga,
Deixa para trás,
Não vás nessa,
É tudo uma treta barata
Não vás na conversa,
Começa, recomeça,
Quantas vezes te apetecer,
Não tens que provar nada aos outros,
Tens que provar
Tudo e mais alguma coisa
A ti,
Se esse lugar te stressa
Vai-te embora,
Que estás a fazer aí?

Se não te motiva,
Se não te dá o céu
Só te trás
As brasas do inferno
Larga,
Segue em frente,
Se não gostares do Verão
Faz o teu próprio inverno.

Se te dá um pingo
Que seja de indiferença,
Não te agarres
Solta-te!
Nem que caias no abismo,
Por sorte ou azar
Ainda vais ter ao parque de campismo,
Mas larga moça!

segunda-feira, 22 de julho de 2019

Não sei

A verdade é que não,
Não sei se estás aí,
A ler o que eu te escrevi
Ou se não foste a tempo
E se por azar
Esta carta a levou
O vento
Para teu azar,
Ou para minha salvação,
Não sei,
Não faço ideia,
Não comento,
Não gosto de falar em vão.

De qualquer maneira,
Nunca soube
Nem nunca ficarei a saber
Se o meu toque
Te toca,
Se o meu olhar
Te faz sorrir,
Se o meu sorriso te provoca
Se o meu cheiro
Te faz tossir.

Na incerteza
Assim ficou,
Acredito ser melhor assim,
Mais vale só e sem respostas
Do que dar o melhor de mim.

domingo, 7 de julho de 2019

Mas diz

Resultado de imagem para falaDiz na minha cara
Que não sentes nada,
Que te vais embora hoje,
Que a mala está feita
Que preferes
Quem te satisfaz
A quem te respeita.

Sê sincero,
Não faz mal
Que me vejas chorar,
Chega de mentiras,
De dizeres
Que me vais amar
Para sempre
Que desta vez
Vai ser diferente
Porque não vai,
Já ouvi que chegasse,
E basta,
Até esta folha
Ficou gasta
De tanta mentira acumulada,
Chega,
Chega,
Não sejas hipócrita,
Dá esta história por terminada,
E não,
Não contes até três,
Já contas-te até um,
E olha, foi de vez.

Não te lamentes
Sabes bem que não adianta,
Podes dizer o que quiseres
Já nada vindo
Dessa boca me espanta,
Tão pouco me encanta,
Agora dá-me vontade
De rir,
De tanto te ouvir
As tuas palavras tornaram-se
Num zumbido,
Nenhuma me entra,
Fazem-me cócegas
No ouvido.

Agora ganhei a certeza
De que és um louco,
Dizias-me conhecer
E achavas mesmo
Que me contentaria
Com tão pouco?

És inocente, realmente!
E demente,
Um demente sem cura...