Blogs de Portugal

quarta-feira, 19 de maio de 2021

Silêncio

 Já não grito.

Dói-me me as cordas

De tanto gritar,

Todos olham

E ninguém quer saber,

Sou-vos indiferente 

E vocês para mim

Também iram ser.


Primeiro ouvia os pássaros,

Agora o tempo

Amarrou-lhes o bico

E já nem esses ouço piar,

Não sei se por acaso

Ou para me castigar.


O rio continua a bater nas rochas

Mas calou-se de repente,

Primeiro ouvia-se o rebentar

Das ondas na beira,

E já não se ouve nada ultimamente.


Só há silêncio,

E é tudo ou nada.

terça-feira, 18 de maio de 2021

Perdeu

Perdeu-se a noção do tempo,

Andam cabeças tontas

Para cá e para lá,

E quando páram

E olham para o relógio,

Dizem que tempo já não há.


Perdeu-se a bondade,

Hoje, é cada um por si,

E numa luta constante 

O outro não pode ter

Mais do que tu

Nem por um instante.


Perdeu-se a essência,

Agora parecemos todos iguais,

Fomos feitos por fotocópia,

E não há originais.


Perdeu-se a lucidez,

Agora andamos todos na lua,

Qualquer dia levam-nos tudo

E temos que viver na rua.

segunda-feira, 3 de maio de 2021

Não quero


Não quero falar...

Ainda sinto a vida

Mas como se estivesse a escapar,

Ainda cá estou

E quero continuar.


Sei que a minha morte

E a de todos é certa,

Mas sinto me cada vez mais perto,

Venha o que vier

Eu estarei pronta

E de coração aberto.


Ainda sinto o ar

Aqui, dentro dos meus pulmões,

E sei que amei como ninguém 

Mesmo não tendo dois corações.


Quando chegar o dia

Da minha partida,

Recordem-me como alguém feliz

E que fez umas coisas bonitas,

Não quero todos de negro 

Quero-vos como num casamento 

Todos catitas.


Não quero falar...

Mas ainda tenho tanto 

Para dizer 

E outro tanto para fazer...

Não chorem,

Não gritem 

Não esperneiem

No dia em que eu falecer.


Não quero falar...

Mas ainda quero viver,

Quero tanto,

Como no dia em que a Terra

Me viu nascer.


Não quero partir,

Mas está na hora.

E hoje até está bom tempo

Faz sol lá fora.


Não quero...

quarta-feira, 7 de abril de 2021

Viva


O sangue corre me nas veias,

O coração está pronto a saltar.

Estou viva!

Estou aqui!

E vim para ficar.


Podem-me dificultar a vida,

Na verdade é um favor que me estão 

A fazer,

Se fosse fácil 

Eu não estava aqui!

O que vinha cá eu fazer?



Não tenho medo das farpas,

Passo por elas como dos pingos da chuva,

Sei que a caminhada é grande

E a batalha é dura,

Só não sei se é mais do que eu,

Mas na incerteza 

Vou com a minha destreza

E dar tudo o que é meu

Tão meu que ninguém o pode tirar,

E não tentem,

Não experimentem...

Não vai resultar!

 

Estou viva!

sábado, 3 de abril de 2021

Nunca

Nunca toquei o teu rosto,

Nunca te vi sorrir,

Não sei se gostavas de Agosto,

Ou preferias o mês a seguir.


Vejo te em fotos,

Oiço relatos de quem te conheceu,

Dizem que muito de ti

Está em mim,

E assim sei que um pedaço de ti

Também sou eu.


A distância entre os tempos afasta-te

Do meu corpo,

Não consigo sentir o teu toque

Na minha cara rosada,

Mas sei que olhas por mim,

Por nós as três,

E que estás presente 

Mesmo quando a noite

Não está estrelada.


Nunca houve um beijo,

Nunca houve um abraço,

Nunca houve um olhar,

Porque a vida nos tramou

Sem darmos conta,

Mas ao olhar o céu 

Sei quem és tu,

És a estrela mais linda!

Aquela que está na ponta.


Tenho inveja de quem te pôde ter,

E eu não ter ido a tempo,

Tenho inveja do paraíso

Por te ter aí,

Pode ser bonito,

Mas o teu lugar é aqui.


O tempo separa o toque,

Mas quando duas almas nasceram 

Para se unir

Nem o próprio tempo é capaz

De as destruir.


Brilha!

segunda-feira, 22 de março de 2021

Espero

 Espero que sejas sempre corajoso,

Que vás à luta

E tentes,

Não importa o não conseguires,

Importa o nunca desistires,

Mesmo cheia de cacos

Por dentro,

Mesmo com noites

Dormidas ao relento,

Se nunca tentares

Nunca saberás.

É preciso garra,

Calma, e ires atrás.


Respira!

Grita!

Mas não te sufoques

Com um mundo

Que não cabe só a ti segurares,

Deita as mãos ao ar

Por um segundo,

Faz bem descansares.


Agora olha,

O caminho é longo

Mas mais vale o que dele

Aprendes, do que a meta em si,

Tira a lição

Do que passaste primeiro,

Que a meta surgirá diante de ti.


Espero, mas não desespero.

quarta-feira, 17 de março de 2021

És poesia

 O teu sorriso é um verso

E nele me atravesso

Para a outra margem

Do teu ser,

A tua face rosada

É uma rima cruzada

Onde faço história

E me encosto

Ao vê-la acontecer.


O teu peito é a quadra

Que me aquece e resguarda

Nos dias em que tremo,

( Não sei se de medo

Do mundo, ou de frio),

Os teus braços

São a estrofe

Que me põe à prova

E me faz entender,

Que o amor é como escrever,

É um desafio.


És poesia!

Aos meus ouvidos

Soas à melodia

Que nunca quero esquecer.