quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Meu mundo a preto e branco


Quando alguém me deixou,
Meu coração se quebrou,
E tudo o que era bom desabou.
 
Em meu coração,
Se instalou a solidão,
Que pouco a pouco matou minha paixão.
 
Levaram quem eu mais queria,
E sei que nunca mais a essa pessoa eu via.
 
Porquê a levaram,
E me deixaram?
 
Preciso de ti,
Aqui,
Para me dares força.
 
A tristeza,
Da natureza,
Me matou,
E nem uma lembrança de mim,
Resto.
Vida ruim.
 
Meu mundo ficou a preto e branco.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Na minha vida


Na minha vida,
Os problemas têm sempre saída.

Aprendo com as cabeçadas que dou,
E só peço que me deixem ser quem sou.

Na minha vida,
Há tristeza,
Existe a natureza.
Há lembranças,
Descobrem-se esperanças.
Há memórias,
Que contam histórias.
Há felicidades,
Dando origem a verdades.
Há companhia,
Nasce a alegria.

Quero seguir a minha vida, com sucesso,
E não quero saber do resto.

 

A minha família é onde me apoio.

Quero-a sempre a meu lado,
Seja qual for o meu estado.

Os amigos quero que me apoiem,
E que não me magoem.

Na minha vida mando eu,
Porque fui eu, que quem isto escreveu.

O que sinto em versos



Escrevo o que sinto,
Escrevo o que penso,
Como num poema extenso.

A minha vida em palavras,
Sentimentos vividos,
Estradas acabadas,
De palavras escritas e ditas.

Com uma palavra,
Formei um poema,
No qual vivi o meu dilema.

Sinto que sou prisioneira de uma vida,
E para escrever inspiro-me assim,
Como se estivesse numa estrada, perdida,
Que acabará por ter um fim.

Ás vezes um jardim,
Ás vezes ruim,
É a vida assim.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

6 de Dezembro


Dia 6 de Dezembro,
Do passado me relembro.
 
Só queria que o tempo voltasse atrás,
Para ver como estás,
E te abraçar,
Para contigo ficar.
 
Do teu lugar te tiraram,
E memórias e histórias ficaram.
 
No meu coração ainda estás,
E na memória ficarás.
 
Tiram que é boa pessoa,
E deixam quem nos magoa.

Sinto a tua falta,
Hoje mais do que nunca.
 
Só quero saber porque não te deixaram ficar,
E das nossas vidas tinham de te tirar.

Adoro-te.
 
No meu coração ainda tens um lugar,
Onde para sempre vais estar,
Para que eu te possa amar.
 
Chorar,
Já nem isso adianta.
 
Só choro porque te quero aqui,
E não aí.
 
Dia 6 de Dezembro me lembro.

Coisas da vida



Tudo o que acontece na vida,
Tem um porquê.
 
Nós nascemos,
E crescemos,
E por fim morremos.
 
Vamos vivendo cada segundo,
No nosso mundo.
 
Desde quando começamos a andar,
Até quando já não conseguimos falar.
 
Toda a gente vive isso.
 
Quem isso não viveu,
É porque ainda não nasceu.
 
Quem é que não se lembra do seu 1º amor,
E do seu momento de terror?
 
E quando demos um passo,
E num instante alguém nos deu um abraço?
 
Quando de casa fugimos,
E juntos vivíamos?
 
E quando família construímos,
E todos nos uníamos?
 
Só não me lembro de quando morri,
Porque aí nunca mais ninguém vi.
 
São puras coisas da vida.

domingo, 2 de dezembro de 2012

A vida


A vida tornasse tão cruel,
Para quem sempre se revelou tão fiel.
 
A vida é um cordel,
Que depois de queimado,
É um cordel acabado.
Curta, curta.
É a vida.
 
Porque é que as pessoas de quem nós mais gostamos,
E amamos,
Se vão,
E não voltam.
Vida injusta.
Para uns,
E para outros.
 
Todos temos direito a ela,
A vida,
É o ponto de chegada,
E de partida.

Sonho tornado pesadelo


O amor não correspondido,
É a pior coisa que poderá ter existido.

Por vezes temos medo de revelar um sentimentos,
Que se tornam em maus momentos.
 
Nem sempre é assim.
Às vezes parece-se com um jardim.
Mas no amor,
Nem sempre vivemos o terror!
 
Às vezes vivemos uma grande história de amor.
Revelamos um sentimento (como o amor),
E vivemos um mau momento,
Ou talvez bom.
 
Pode ser difícil deixar alguém,
Que vai mais além.

Mas o amor não acontece uma só vez,
Senão…

Era uma vez.

Porquê?


Porquê,
Por que é que amamos,                                     
Quem não nos ama,
E nos reclama?
 
Porquê,
Por que é que o tempo,
Passa tão depressa,
E na alma ficam histórias,
E memórias?
 
Porquê,
Porque é que vão e não voltam,
E nos revoltam?

Porquê,
Por que é que vão que nós mais amamos,
E de quem mais precisamos?
Porquê?
Porquê?
Porquê?
Por que é que no meu coração,
Só existe esta questão?
Porquê?

Palavras(1)


Umas recordadas,
E outras esquecidas,
Ou talvez perdidas,
Umas que dizem verdades,
E outras transmitem lealdades.
 
Umas fáceis de dizer,
Mas difícil de entender.
 
Palavras caras.
 
Palavras que se vendem,
Mas não rendem.
 
Umas que doem,
E nos destroem.
Outras bonitas,
E benditas.
 
As palavras.
 
São apenas palavras ditas.

O meio-ambiente


É bonito ver uma amiga ser compartilhada,
Mais bonita é ver uma paisagem ser  preservada.

Uma flor precisa de água para não murchar,
Uma floresta precisa de alguém para a vigiar.
 
O lixo para o chão não deves atirar,
Se o meio-ambiente queres ajudar.
O fumo faz a camada de ozono diminuir,
E o planeta Terra destruir.
 
Não diga sim á poluição,
Para isso serve esta lição.

O amor


O amor,
É um sentimento,
É muito mais do que amar,
É um momento,
É sonhar, recordar.
 
Amar uma pessoa,
Que não nos magoa.
 
Por vezes é preciso namorar,
Para dizer o que estou a sentir,
Se é amar ou rejeitar,
Se hei-de agir ou refletir.
 
Por vezes me revolto,
E me pergunto porque não volto.
 
É um sítio só nosso, onde mais ninguém pode entrar,
É guardar,
O que estou a pensar.
É tirar uma afirmação,
Para esta nova paixão.

As profissões


Eu quero ser,
O que tu vais aprender.
 
Veterinária,
E não operária.
 
Empregada,
Uma vida nada facilitada.
 
Sonhar ser arqueólogo,
Ou Talvez paleontólogo.
 
Engenheiro,
Ganha tanto dinheiro.
 
Uma autêntica cantora,
Nada, nada amadora.
 
 
As profissões,
Levam a muitas afirmações.

Agora sou apenas um aprendiz bastante feliz.

Num barco


Anda a navegar,
Em alto mar,
E a tempestade começa a avançar.
 
Homens ou mulheres embarcam em alto mar,
E vão a trabalhar,
E a pensar.
 
No que irá acontecer,
Se os familiares irão rever.
 
Nesta profissão,
Só cabe uma afirmação.
 
Num barco.
 
A vida,
É o ponto de chegada,
E de partida.

Contigo


Eu espero não desesperar.
Eu espero namorar,
Eu espero amar,
Eu espero brincar,
Eu espero-me animar.
 
Eu espero que tu não me faças chorar,
Ou humilhar.
 
O que eu quero contigo é sonhar,
Sem parar.
 
Ao meu lado te ter,
E nunca, nunca te perder.
Não vou cair,
Uma nova paixão se está a construir.
Contigo.
Contigo!
 

Uma aventura


Uma nova aventura começou,
Quando a escola acabou.
 
Viagem dentro de Portugal,
Nunca tinha visto nada igual.
 
Em Vila Real,
Vi um lindo festival.
 
Em Ponte de Lima,
Encontrei a minha prima.
 
Em Viana do Castelo,
Colhi um marmelo
 
Em Aveiro,
Comprei um candeeiro.
 
Em Lisboa,
            Dei uma volta de canoa.
Portugal,
Um sítio fenumenal.

sábado, 1 de dezembro de 2012

Tu para mim




Se vejo o luar,
Começo a chorar,
Porque vejo os teus olhos a brilhar.
 
Se gostasses mesmo de mim,
Isto nunca seria assim.
 
Ainda não acabou.
 
Amigos para sempre.

 
Os teus amigos,
 São meus inimigos.
Se um dia eles tentarem mudar,
Nesse dia eu posso já lá não estar.


 
 
 
 
 
 
 

Paixão ou Ilusão


                            
Sei que também estás a sentir,
Mas preferes continuar a mentir,
 
A pensar numa antiga paixão,
Que só te deu uma tremenda desilusão,
E que te fez viver na solidão.
 
Mas eu estou aqui,
Só para ti.
 
Ao teu lado não quero sofrer,
Nos teus braços vou-me perder,
Mas sei que te terei para me socorrer.
 
Anda para ao pé de mim,
Não quero continuar assim.