sábado, 31 de maio de 2014

Mãe

Tu que és
Rosa,
Que me dás
A cor,
Tu que és
Prosa,
Tu que és
Meu amor,
Tu que me aclamas,
Que me amas,
Com todo o coração,
Tu que me apoias,
Ó tu que me dás
A mão.

Tu que és
Maré alta,
Que me inundou,
Ninfa do Tejo
Que me hipnotizou.

Tu que és
Minha,
Ó bela rainha!

Tu,
Ó mãe,
És tudo para mim,
És o meu bem.

ATENÇÃO:Este poema, é dedicado, a uma pessoa muito especial para mim, a minha mãe.

De regresso

Não adianta
Falares,
Pronunciares
Que tinhas razão,
Não gastes
Palavras,
Rouba-me o ar,
Dá-me um beijo
Daqueles de fazer
Chorar.

Sim,
Eu sei que sabes
Que sabias,
Que eu voltava,
Sei que pensas
Que só parti
Porque não te amava.

Pura mentira!

Fui ingénua,
Fui em busca da felicidade,
E esqueci-me,
Que ela
Eras tu,
A minha cara metade.

Regressei,
Pois sempre te amei,
Estou de regresso!

Temporal de amor

Apaixonada,
Num cantinho
Do meu canto,
Penso,
Em que sei pensar.

Lá fora,
Cai um raio de ternura,
Gotas de amor,
Ventos de saudade pura,
Que demoliram,
A dor.

Sinto um frio,
Aquecido,
Na minha cabeça
Cai um beijo doce,
De tão amargo,
Nunca antes pedido.

Na janela embaciada,
O vento desenhou,
Um coração de loucura,
Uma tontura,
Que me abalou.

Um pronunciar
No ar,
Um suspiro
A finalizar.

Temporal do bem.

Respeita

Respeita,
O meu passado,
Liberta,
O meu presente,
Dá-me o futuro desejado,
Aceita o pedido
Pendente.

Respeita,
O meu coração,
Lê as regras,
Não brinques com a situação.

Respeita,
A minha decisão,
Não implores,
Não me impeças,
De te dar
Um não.

Respeita
Se queres
Ser respeitado,
Desrespeita,
E não serás
Aceitado.

Tesouro

És a relíquia
Que eu descobri,
És valioso,
És ouro,
És tudo
O que eu nunca vi.

És o diamante
Mais natural,
E puro,
Que eu desenterrei,
És cura,
És o milagre,
Que eu sempre desejei.

És o meu brilho
Brilhante,
Um sorriso aberto,
Um olhar distante.

Meu tesouro
Duradouro.

domingo, 25 de maio de 2014

Alguém especial

És apenas uma criança,
Que me conquistou
Com a sua canção,
Um músico de rua
Para quem dei a mão.

És um sorriso
Difícil
De conquistar,
Um olhar
Incerto
Impossível de decifrar.

Gostava que me levasses ao teu mundo,
Aquele em que ninguém pode entrar,
Que me abrisses a tua porta,
E me mostrasses,
O quanto é bom amar-te.

Cada olhar,
Sua lembrança,
Cada toque,
A sua esperança.

Preciso

Preciso apenas
De viver,
De abrir os olhos
Sem chorar,
De abrir o coração
E não sofrer,
De abrir a alma
Pronta a amar.

Preciso simplesmente
Que alguém pouse
Sem hora para voar,
Alguém capaz
De me valorizar.

Preciso
Somente,
De um sorriso
Para ser feliz.

Preciso de pouco,
Como podem ver,
Porque com o essencial
É que se aprende a viver.


quarta-feira, 21 de maio de 2014

Por amor

Quando deres
Conta dos erros
Que cometi,
Provavelmente,
Não me vais ouvir,
Não me vais deixar
Explicar,
Sim,
Porque para ti
Não existem explicações,
Nem simplesmente
Razões,
Para tal.

Eu sei que um dia,
Mais tarde,
Talvez...
Daqui a uns anos,
Ou uns dias,
Tu,
Mesmo não querendo,
Irás ler
Este pedido de perdão,
Mesmo contrariada,
E também talvez irritada,
Tu vais acabar
Por entender,
Que tudo o que fiz,
Foi por amor.

Foi por amor
A ti,
A mim,
A nós,
Que eu fiz
Tudo isto
Que aconteceu,
Foi por amor,
Tu sabes,
Mas doeu.

Por amor,
Eu já sofri,
Por amor,
Eu já sorri,
Por amor,
Um dia
Voltei para ti.

Foi, por amor.

domingo, 11 de maio de 2014

Amanhã, estarás de volta

Acordei de madrugada,
Com uma estranha sensação,
Que tinhas fugido,
Do meu estranho e maduro coração.

Senti essa tua falta crua
E dura
Nos lençóis da nossa cama,
Fiquei imóvel ali,
Sozinha,
E má acompanhada
Pela solidão,
E a culpa é tua,
Toda,
Todinha tua,
Porque te foste sorrateiramente,
Nem um bilhete
Me deixaste, somente.

Agora,
Bem...
Agora nem sei como estou,
Afinal,
Quem eras tu?
Para onde foste?
Porque é que não pude ir?
Fala!
Grita!
Chama-me!

Talvez,
Tu,
 Seu malandro,
Já estejas bem longe,
Mas mesmo distante,
Irei-te encontrar
Bem perto,
Eu sei que sim,
Este poema está certo.

Amanhã,
Estarás de volta.

sábado, 10 de maio de 2014

Momentos vividos

Momentos não partem,
Pessoas também não,
Momentos ficam
Na memória,
Pessoas levam-se
No coração.

Pessoas vão connosco
Para todo o lado,
Momentos são vividos
Ao teu lado.

Momentos vivo
E tu também,
Vivo-os contigo,
Pois ao teu lado
Estou sempre bem.

Sentimentos revelam-se,
Brincadeiras vivemos,
Por problemas passamos
Mas sabemos que apesar de tudo
E de todos
Nos amamos.

Momentos,
Pessoas,
Brincadeiras,
Memórias,
Ficaram as nossas histórias.

Momentos vividos.

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Quando?

Hoje,
Paro para pensar,
Questiono-me,
Imaginando,
Quando chegará o futuro,
Quando reconstruirei
Um passado,
E quando moldarei o presente.

Quando,
É que vou poder
Ser feliz?
Encarar  a vida
Da maneira certa
Como eu sempre quis?
Quando?

Quando é que vou poder
Abrir os olhos,
Sem ter que chorar?
Quando é que vou ter alguém
A meu lado,
Que me saiba valorizar?
Quando?

Quando,
É que vou parar
De dar valor
A que não o tem?
Quando,
É que vou
Seguir em frente
Estando sempre bem?
Quando?

Quando,
É que chegará
O dia do meu triunfo,
Da realização
Do meu sonho?


Quando,
É que me vais largar
Este medo medonho?

Quando?
Quando?
Quando?

Mil e uma perguntas,
Zero respostas,
Problemas solução,
Vinda
De propostas.

Tempo perdido

Se queres mesmo
Saber,
O que eu sentia
Era verdadeiro,
Eu pensava
Em ti,
O dia inteiro.

Pensava seres diferente,
E deixei-me levar,
Por palavras
Mal usadas,
Que usavas
Por usar.

Mas agora,
Que vejo
O realmente
Aconteceu,
Apercebo-me de
Que sou só
Mais alguém que usas e iludes,
Só para tentares
Esquecer,
Quem não te quer,
Eu sou frágil,
Sou alguém com sentimentos,
Sou uma mulher,
Que finalmente
Abriu os olhos para a vida.

Foi tempo perdido,
O que gastei contigo.

domingo, 4 de maio de 2014

Sabes?

Sabes,
O quanto dói
Ouvir-te dizer
Que ainda
Não a esqueceste,
E que gostavas
De a ter?
Sabes,
Que há palavras
Que nunca se podem dizer?

Sabes,
O quanto significas
Para mim?
Pensas ser o quê?
Aquele alguém
Que impõe
Sempre um fim?

Sabes,
Eu não consigo
Ser feliz,
E sabes porquê?
Porque tu,
És quem eu amo,
E quem sempre quis.

Sabes,
Eu pensava que tu
Eras para sempre,
E não só mais uma aventura,
Pensava construir
Uma relação séria,
E não uma rutura.

Sabes,
Basta algo incerto,
Para tudo se destruir,
Basta uma peça
Mal colocada,
Para o nosso amor,
Ruir.

Sabes,
Há tanta coisa
Por dizer,
Há tanta coisa
Por escrever,
Mas pouco tempo
Para se manter.

Sabes,
Eu não levo
Isto na brincadeira,
Mas sim,
Como uma lição.

Para vida inteira.


quinta-feira, 1 de maio de 2014

Há palavras que não se dizem

Por vezes prefiro
O silêncio,
Arte que não magoa,
Que cai de leve,
Sem se saber situar.

Há palavras usadas,
De forma inútil,
Que só sabem
Causar dor,
Outras tantas,
Que não se pronunciam,
Simplesmente
Espalham o seu amor.

Há palavras
Que não se dizem.

À distância

Tu de mim,
Estás tão longe,
Mas eu,
Sinto-te tão perto,
Parece tudo
Tão confuso,
Ficam tantas
Questões em aberto.

Existem tantos
Sentimentos,
Alguns
Não correspondidos,
Ou é em mim,
Ou é em ti,
Que existem
Sentimentos escondidos.

Mas diz-me,
O porquê dessas
Reações,
Tu amas-me
De verdade,
Ou sou só mais uma
Das tuas diversões?

À distância,
Fica tanto por dizer,
Dois corações
Que se amam,
Ou que têm
Que se entender?

Morto vivo

Ser rastejante,
Escuro,
Horrível
Que vem atrás
De mim,
Morto vivo
Vingativo,
Que me estrangula
De uma forma
Tão ruim.

Cenário de morte,
De sofrimento,
Angústia,
Alguém que não
Quis partir,
Mas este ser horrendo,
Não teve alternativa
Senão persistir.

Roupas rasgadas,
Sangue,
E uma arma
Usada,
Nesta morte,
Morto vivo
Culpado,
Ensanguentado.

Morto vivo.

Apenas erros

Erros,
Erros,
Erros,
Afinal são só palavras,
Verdades,
E mentiras,
Vindas de ti,
Foram apenas erros,
E medos,
E eu iludi-me.

Palavras verdadeiras,
Que me declaraste,
Outras tantas
Que não desvendei,
Cometeste
Apenas erros,
Mas eu perdoar-te-ei.

Se existiram
Mentiras,
Isso eu não
Quero saber,
Mas sim seguir
Em frente
Ao teu lado,
Sem nada
A temer.

Apenas erros.

Deceção

Um dia conheci-te,
Parecias tão especial,
Eras aquele alguém,
Eras o tal.

Parecias tão lindo
Que me iludi
Com esse brilho
Do teu olhar,
Vi algo diferente,
Que não me deu
Tempo para recuar.

Estava tão enganada
Só eu não percebi,
O que escondias
Nos teus gestos,
O que escondias
Atrás de ti.

Demorei,
Mas eu já consigo ver,
Que não és quem
Conheci,
Mas sim alguém,
Que veio
Para me fazer sofrer.

Deceção,
Dor,
Mentira,
No meu coração.

Nunca imaginei

Nunca imaginei,
Sentir o que sinto
Por ti,
Nunca imaginei
Querer-te aqui.

Nunca imaginei,
Que um sonho
Se tornasse realidade,
Nunca imaginei,
Chegar aonde cheguei,
Nunca imaginei
Com tanta simplicidade
Alcançar,
O que alcancei.

Nunca imaginei,
Um dia senti,
Pois sei que entristeceria,
Ou morreria,
Agora e aqui.

Nunca imaginei,
Apaixonar-me,
Mas contudo,
Apaixonei-me.