sexta-feira, 28 de junho de 2013

E se...


E se um dia…               
Tudo o que é perfeito,
Desmoronar,
Tudo o que me alegrou,
Me matar?
 
E se …
Tudo o que tínhamos morrer,
Tudo o que vivemos
For em vão,
E no nosso amor,
Cair um trovão?
 
E se…
Tu já não fores para mim,
Um marfim,
Mas agora uma pedra
Ruim?
 
E se um dia…
Aqueles encontros
Escondidos de todos
Forem erros,
E um conjunto de medos?
 
E se...
Quando este poema
Acabar,
Eu me matar?
O que era bom,
Acabaria,
E o que me prendia
A ti,
Morreria.

Dor


Não é uma palavra só,
É tormento sem dó.
 
Não é carícia,
Não é um carinho,
Mas sim uma malícia,
Que me persegue,
Por este caminho.
 
Três letras apenas.
 
Delírio,
Maltrato,
Martírio?
 
Foi apenas
Um mau ato,
Que eu cometi,
Ao olhar o teu retrato.
 
Solidão,
Escuro no céu azul,
Tristeza,
Na alegria,
Fantasia,
Uma má magia.
 
Dor,
De quem sofreu por amor.

segunda-feira, 24 de junho de 2013

A hora de voltar


Chegou a hora,
Já tomei a minha decisão,
Vou-me embora,
Vou para uma nova estação.
 
Aqui a este sitio,
Já nada me agarra,
Lá eu tenho felicidade,
Tenho amizade,
E tenho-te a ti,
A minha razão de viver,
A pessoa que me faz ver
E crescer com os erros da vida.
 
Já tenho as malas feitas,
Agora é só embarcar,
E te esperar.
 
Passaram horas e eu
Ao meu destino já cheguei,
E quando te avistei,
Novamente te abracei.
 
Sou a alegria
Em pessoa,
Agora que estou ao pé de ti,
Ninguém me magoa.
 
Só tenho uma palavra
A destacar-me…FELICIDADE

A sensação de te ver partir


Lembro-me como se fosse hoje,  
Aquele dia em que tu tiveste
De ir embora,
E agora o meu coração chora.                        
 
Saíste da porta para fora,
Mas não saíste da minha vida,
Saíste apenas do teu lar,
E deixaste quem sempre te irá
Amar.
 
Só pergunto: -Porque é que tens de ir
E fingir que está tudo bem
Quando eu sei que algo se passa?
 
Tu não responde,
Uns longos períodos
De silêncio, deixam-me
Ansiosa,
E apenas ouço “ Vai ficar tudo bem”.
 
Não, não, eu quero a verdade,
Porque eu sei que a tua resposta,
Não foi dita com sinceridade.
 
Por favor desvenda a verdade,
Não me faças ficar aqui
A ver-te ir,
Quando não sei a data de chegada.
 
Não te vás,
Esta sensação,
Sufoca o meu coração.

quarta-feira, 19 de junho de 2013

A minha turma


Foi aqui,

Que eu aprendi a crescer,

Foi aqui,
Que eu comecei a aprender.
Que eu vi,
O lado bom da vida.
Que vi uma luz
No meio da escuridão.
É aqui que eu quero ficar,
Para nunca mais chorar.
 
Somos a união em pessoa,
A nós ninguém magoa.
 
Aqui construímos,
Uma segunda família,
De irmãos e irmãs,
Que sabem dar sorrisos,
E também conselhos.
 
Foi aqui,
Na nossa turma,
Que a história,
De cada um começou.
 
Foi aqui,
Que uma família nasceu,
E reconheceu,
O valor da amizade.

Atos


Há atos tão simples,
Mas que magoam,
Há atos inocentes,
Mas que deixam marcas.
 
Um ato,
Um mau trato.
 
Por muito pequenos
Que seja,
Tem sempre um significado,
Por muito simples
Que sejam,
Tem sempre uma razão
De ser.
 
Com um ato,
Aprendi a crescer,
Aprendi a ver,
O que me andavas tu
A esconder.
 
Lembra-te que um ato,
Pode causar muita dor,
No meu interior.
 
Com um ato,
Magoaste-me,
Afastaste-me.
 
Foram atos.

ATENÇÃO!

Muito boa tarde a todos os visitantes do meu blog, espero que estejam a gostar, das pequenas partes de mim que vou deixando aqui aos olhos de todo o mundo.Estes últimos poemas que eu vou publicar a partir de hoje, são alguns poemas do meu 1º caderno.Espero que gostem.Bjs e continuem visitando-me.

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Sonho


Sonhei um sonho           
Sonhado,
Sonhei que te tinha encontrado.
 
Sonhei um sonho
Pedido,
Sonhei que ele tinha sofrido.
 
Sonhei um sonho
Real,
Sonhei que tu eras
O tal.
 
Sonhei um sonho
Realizado,
Sonhei que me tinha casado.
 
Sonhei um sonho
Passado,
Sonhei que tu estavas
Apaixonado.
 
Sonhei um sonho
Atormentado,
Sonhei que tu eras o culpado.
 
Sonho,
Sonhei,
Sonharei.

Impossível


Não sou quem
É de desistir,
Ou fugir
Do impossível,
Mas sim,
Quem faz de tudo
Para que se torne possível.
 
Já me queimei,
Com fogo de tormentos,
Vi o impossível,
 Ao meu lado bem visível,
A destruir os meus momentos.
 
Sonhei sonhos,
Que nunca chegaria
A atingir,
Vi o impossível,
No meu pensamento reagir.
 
No meu coração,
Não conseguiu entrar,
Mas em dias de tempestade,
Fez-me magoar.
 
Impossível,
Porque é que és tão imprevisível?

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Tristeza


Chuva ácida,
Em cima do meu pensamento,
Nuvem cinzenta
Que não vai embora
Com o vento.
 
Mundo impedido
De sonhar,
Olhos inundados
De lágrimas profundas.
 
Pensamento longínquo,
Coração atormentado,
Sentimento perturbado.
 
Olhar distante,
Pensamento flutuante,
Nuvem que não
Quer partir.
Sonhos de que serei
Obrigada a desistir.
 
Explosão
De tormentos,
Momentos de conturbação
Visão ensanguentada,
Dor no coração.

Obsessão


Quantas amizades
Eu destruí,
Por pensar
Que estava apaixonada
Por ti.
 
Quantas verdades,
Eu não quis ouvir,
Por pensar que era
Uma questão de tempo,
E esta incerteza iria
Embora com o vento,
E não ficaria a impedir o momento.
 
Quis fechar os olhos,
Para o que se encontrava
À minha frente,
Tu eras tão essencial
Para mim,
Que em vez
De te guardar no coração,
Guardei-te na minha mente.
 
Tive consciência,
Que o que fiz
Não estava correto,
E contei-te
O que se passava,
Que não queria alguém,
Que me desviava.
 
Estava obcecada.

Eu


Sou quem escreve,
Com alma,
Que sente com o coração,
Que tem a poesia
Como a sua paixão.
 
Sou quem chora,
Por quem não volta mais,
Sou aquela que quer estar sozinha
Para pensar,
Aquela de quem mais tarde,
Te irás recordar.
 
Aquela que brinca
 Com palavras,
Que constrói estradas
De poemas.
 
Sou aquela que será alguém,
Que um dia com esforço
Irá um pouco mais além.
 
Sou aquela,
A quem muito gostam de desprezar.
Sou quem se irá levantar
E seguir em frente,
Como se nada fosse.
 
Aquela que ajudam a caminhar,
Uma rapariga,
Ou mulher,
Uma pessoa para cuidar.
 
Sou quem
Dá vida às palavras,
Quem continuará
A escrever,
Enquanto viver.
 
Quem segue em frente,
Contra barreiras,
Quem quebra obstáculos
Para puder ser alguém.
 
Esta sou eu,
Que neste poema,
Estão a conhecer,
Espero que tenham
Gostado de ler.

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Pensamento


Balão pensativo,
Num olhar distante,
O único motivo,
De um sorriso radiante.
 
Pensamento profundo,
Um momento,
Todo o tempo do mundo.
 
Letras,
Palavras,
Momentos,
Atos,
Retratos.
 
Pensamento,
Coração ao relento.

Entre nós


O tempo já terminou,
E o teu momento,
Já passou.
 
Não tiveste coragem,
De passar da amizade
Para a margem do amor,
E deixaste que me magoa-se
Num espaço de tempo inconsciente.
 
Queres tentar de novo,
E pensas que é apenas com um ato,
Que o meu coração
De novo se abre?
Não!
 
Ele magoou-se asserio,
E precisa de voltar a sentir,
O nosso amor,
Para poder reagir.
 
Queres só amizade?
Então esquece de vez
A minha existência,
Porque eu não quero
Um amor de experiência.
 
O tempo está a contar,
E o meu coração não está
A aguentar,
Se me fizeres sentir
Aquela magia,
O meu coração reage
E acaba com toda esta fantasia.
 
Passaram um,
Dois,
Três,
O meu coração foi-se
De vez.
 
Não te atrevas a chorar,
Por aquela que mataste,
Porque não demonstraste,
Amor,
E agora,
Chegou a tua vez,
De viver com dor.
 
Adeus meu amor destruidor.
Adeus!