domingo, 20 de abril de 2014

Procuro-te

Procuro-te
A ti,
Felicidade,
Porque me sabes
Fazer feliz,
Como eu sempre quis.

Procuro amor,
Mas ele de mim,
Deve ter pavor,
Porque é sempre assim,
Só sabe fugir de mim.

Procuro a bondade,
Para me fazer singela
De verdade.

Procuro-te
A ti,
A minha cara metade,
Que nunca apareces
Quando eu quero,
Quando eu preciso de ti,
Para me dares um sorriso,
Mas com sinceridade.

Procuro sobretudo,
A paz,
Porque ela,
Tudo trás consigo,
Até te traz,
A ti,
Meu fiel amigo.

Procuro-te.

Eu não consigo

Eu não consigo
Sorrir,
Quando o que eu
Mais quero
É chorar,
Eu não consigo amar,
Alguém,
Incapaz de me valorizar.

Eu não consigo
Demonstrar estar bem,
Quando na verdade,
Não estou,
Eu não consigo
Saber para onde vou.

Eu não consigo
Olhar para ti,
E dizer,
Que és ó meu amigo,
Eu não consigo
Dizer-te,
Que não quero nada contigo.

Eu não consigo sorrir,
Mas no entanto,
Eu consigo desistir.

Um dia...

Talvez um dia...
Aprendas a valorizar
Um sorriso,
Talvez um dia...
Tu aprendas
A reconhecer
Que é de ti
Que eu preciso.

Talvez um dia...
Tu mudes,
Ou talvez não,
Talvez um dia...
Tu vejas,
Que eu estive
Sempre lá,
Para te dar a mão.

Talvez um dia...
Tu olhes,
O meu retrato,
Arrependido,
Por tudo aquilo,
Que me fizeste
Passar,
Talvez um dia...
Seja tarde
Demais,
Para voltar.

Talvez um dia...
Eu siga
Em frente,
E te esqueça
De vez,
Talvez um dia...
Te interrogues
Do porquê
Tantos porquês.

Talvez um dia...
Eu já não esteja
Á tua espera,
Talvez um dia...
Eu já tenha partido
Para uma nova Era.

Talvez um dia...
Todos os erros,
Sejam só sinais
De um final improvisado,
Talvez um dia...
De tantas discussões
Ridículas,
Eu já me tenha fartado.

Talvez um dia...
Eu me aperceba
Que passei
Este tempo todo,
Com alguém
Sem coração.

Talvez um dia...
Seja só mais uma memória,
Talvez um dia...
Eu não esteja cá,
Para te contar o resto
Da nossa história.

Traição

Distração inocente,
Causadora
Dessa dor,
Na tua mente.

Fase improvável,
Ato incontrolável,
Ato, etapa
Não desejável.

Traição,
Marca,
Cicatriz,
Causadora,
Por alguém
Demasiado feliz.

O último pedido

Este é o último,
O último pedido que te faço,
Antes de te ver
Partir,
O único
Que te pedirei
Antes de fugir.

O último
Antes de olhar
Para ti,
E de te encontrar
Desolado,
O último
Antes de te ver
Sofrer,
Louco,
E apaixonado.

Só te peço,
Não faças da tua vida,
Um simples gatafunhado,
Agarra em papel,
Escreve um destino,
Mais apropriado.

Não te peço
Muito,
Como podes ver,
Não te peço
Tudo,
Apenas,
Que deixes de sofrer.

O último pedido,
Último desejo,
Antes que partas,
Para esse percevejo.

Por favor.

Ilusão

Fator frequente,
No processo vital,
Um elemento,
Um argumento,
Familiar do mal.

Rima insignificante,
Ilusão iludida,
No papel de principiante
Desconhecida.

Ilusão,
Solidão enterrada,
Dor,
Marca,
Memória reavivada.

Arte no campo
Natural,
Bomba,
Gás fatal.

Ilusão, marca,
Cicatriz,
Reaberta,
No coração.

terça-feira, 15 de abril de 2014

Despedida

Quando acordares
E não me sentires
Nos teus braços,
Não desanimes,
Não te apoquentes,
Sai,
Com um motivo
Bem claro,
Bem justificado.

Na mesa
Da cozinha,
Aquela onde
Escrevias,
Enquanto esperavas
Pela minha chegada,
Encontrarás esta mensagem,
E nela uma palavra
Nunca apagada.

Não dramatizes,
Ajuda-me,
Quero que isto,
Esta minha última
Aparição em palavras,
Esta despedida
Improvisada,
Seja algo bem simples,
Bem claro,
Como o verde esmeralda
Dos teus olhos.

Olha,
Sim olha para
Estas palavras,
Quero que
Leias o que tenho
Para dizer.

"Parti,
Fui-me embora,
Não tenciono regressar,
Porém,
Se tal acontecer,
Não levantes esperança
Onde só já há solidão,
Apesar de isto tudo,
Quero que saibas
Que te amo,
E é esta
A razão de eu
Ter ido
Para bem longe,
Ou talvez
Ainda estar tão perto,
Eu sei, meu amor,
Ficaram muitas
Questões em aberto.

"Só quero algo
Bem fácil,
Difícil para ti,
Quero,
Somente que sejas feliz,
Sim,
É o que eu sempre quis.

"A causa de não me teres ai,
A despedir-me pessoalmente,
É porque esta situação,
Este crucigrama,
Dói em mim
Arduamente.

"Ainda te amo".

domingo, 13 de abril de 2014

Deixo-te

Hoje,
Dia vinte de Março,
Deixo-te,
Assim,
De repente,
Para que entendas
Que já não existem esperanças,
E o que nos resta guardar,
São apenas lembranças.

Deixo-te
Não por não te amar,
Ó, quem me dera
Que fosse isso,
O que se passa
É que eu,
A pessoa que mais te ama,
Já não tem paciência
Suficiente para te suportar.

Deixo-te,
Não por falta de amor,
Deixo-te,
Somente a ti,
Por algo tão mau
Que me tens causado,
A dor.

Deixo-te
Porque quero algo
Bem explícito,
Algo bem claro,
Bem justificado,
Esta é a última prova,
Como eu te tenho amado.

Deixo-te,
O fim,
Uma recordação
De mim.

Ama-me de novo

Ama-me,
Como se me amasses
Em segredo,
Ama-me com todo
O amor
Árduo,
Caloroso,
Que sentes,
Vá, sem medo.

Ama-me,
Como a água
Que rega
A flor,
Ama-me,
Como o mar
Abraça a areia,
Ama-me,
Como a aranha
Que constrói
A sua teia.

Ama-me,
Como só tu
Me sabes amar,
Faz-me feliz,
Como só tu
Sabes fazer,
Dá-me,
Tudo o que me queres dar,
Mostra-me,
Tudo o que tenho
Que ver.

Vem,
Chega-te
A mim,
Ama-me de novo,
Tu,
Ó rapaz do meu povo.

Ó tu

Ó tu que passas,
E me abraças
Com um passo dado,
Que tens tu,
Meu tenente,
Meu soldado?

Ó tu que olhas
Só por olhar,
Que estás tu
A apreciar?

Ó tu,
Tu que sorris
Sem motivo,
Por que me submetes tu,
A este castigo?

Ó tu!

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Mágoa

Marca profunda,
Deixada por alguém
Desigual,
Cicatriz reaberta,
Que reatou o mal.

Orgulho
Malicioso,
Passado,
Presente,
Nada orgulhoso.

Mágoa causada,
Sem querer,
Dor profunda,
Que dói,
Fazendo-me sofrer.

Consciência

Se tivesses consciência,
Não me interrogavas,
Quanto ao meu passado,
Só eu sei,
Só eu senti,
A forma como fui
Insultado.

Se tivesses consciência
Pelo que passei,
Paravas com esses
Teus atos de criança,
E relembravas,
O quanto eu lutei,
Por um sonho,
Que nem sei
Ao certo
Como se criou,
Só sei
Que foi para melhor
Que ele me mudou.

Se tivesses consciência,
Pensavas antes de agir,
Pois um dia arrependeste,
E o remédio
É fugir.

Se tivesses consciência,
Tu irias
Ganhar,
Irias criar,
Mais paciência.

quinta-feira, 10 de abril de 2014

Um toque

Um dia tocaste-me,
Senti algo tão forte,
Jurei,
Que te amaria
Até á morte.

Foi o teu simples
Toque,
Que em mim despertou,
Um sentimento,
Um momento,
Que ainda não acabou.

Foi algo
Tão puro,
Mas que resultou,
Num amor único,
Que nos juntou.

Toca-me outra vez,
Quero sentir
O teu toque,
Em,
Um,
Dois,
Três.

A linha imaginária

Ó linha!
Que fazes tu,
Ai ao relento?
Vá,
Vai-te embora
Ó linha,
Sai do meu pensamento.

Ó linha,
Linha tagarela,
Estás doente, linha?
Estás tão amarela!

Ó linha!
Que fazes tu,
Ai,
Na minha imaginação?
Queres-me assustar,
Ó linha,
Ou dar-me
Um ataque de coração?

Adeus ó linha
Imaginária,
As melhoras
Ó linha,
Tu que estás doente,
Com malária.

Simplicidade

Jeito de ser,
De viver,
De ver e querer,
Da multiplicidade
Da esperança,
Na crueldade.

Algo inexplicável,
Nascente simples,
Mas qualificada,
Bondade
Do ser,
Bem aplicada.

Simplicidade,
Grupo de funções,
Com a sua calma
Toca os corações.

É a simplicidade,
A melhor maneira
De observar
A verdade.

Eu mudei

Eu mudei,
Porque a vida
Assim o exigiu,
Eu mudei,
Não porque
Alguém me pediu.

Eu mudei,
Para o meu bem,
Eu mudei
Por obrigação,
Não para satisfazer alguém.

Eu mudei,
Pois a hora chegou,
Tentaram impedir-me,
Mas nada resultou.

Eu mudei,
Para não sofrer,
Eu mudei,
Para te fazer
Ver,
Que não sou
Tão fácil,
Como pensavas,
Eu já não sou aquele brinquedo,
Que tanto usavas
E dizias
Que amavas.

Eu mudei,
Por mim,
Eu mudei,
Para não ter
Que impor o fim.

Um olhar

Entre uma porta,
Entre um milhão
De pessoas,
Eu irei lá estar
Para o nosso olhar
Se voltar
A cruzar.

Chegou um sorriso,
Para me apaixonar,
Bastou apenas
Uma palavra,
Para eu te deixar,
Porém,
Restou um olhar,
Para me reconquistar.

Um olhar,
Algo tão fácil
De encantar,
Tão fácil de assustar,
Com um olhar,
Comecei-me
A apaixonar.

A letra continua

Letra repetida,
Constantemente,
Letra em movimento
Frequentemente.

Breve,
Celestial,
Letra única
Bestial.

A letra continua,
Por entre vogais
E consoantes,
Numa marcha
Nua.

Revolução interior

Sinto o meu coração
Querendo se libertar,
Pontadas na cabeça,
Que não me deixam pensar.

Estômago revoltado,
Pensamento atormentado,
Movimento,
Sentimento
Perturbado.

Revolução interior,
Causadora de tal dor.

Desespero

Palavra enorme,
Significado aterrador,
Que me relembra,
O momento passado,
O anterior.

Loucura sobressaída,
Passagem vital,
Mal vivida.

Desespero,
O motivo
De eu ter
Cometido tal erro.

terça-feira, 8 de abril de 2014

Preocupação

É impossível,
Não me preocupar
Com a pessoa
Aquele alguém,
Que eu quero preservar.

Preocupação,
É algo que não perco
Com facilidade,
Pois eu amo
Este alguém
Mesmo de verdade.

Preocupação,
Porque matas
Este amor de coração?

segunda-feira, 7 de abril de 2014

Três tempos

Em três tempos
Eu te conheci,
Em três tempos
Eu sofri,
Por ti.

Em três tempos,
Caí na minha própria
Ilusão,
Em três tempos,
Eu deixei
De habitar
O teu coração.

Em três tempos,
Eu me enganei,
Em três tempos,
Eu te conquistei.

Em três tempos,
Ficamos lado a lado,
Em três tempos,
Já eras meu namorado.

Bastaram três tempos
Para eu te amar,
Dois tempos para eu errar,
Um tempo,
Para te reconquistar.

Perdida no nada

Situada,
No nada,
Já nem sei
Quem sou,
Não sei o que quero,
Não sei,
Para onde vou.

Não sei
Nada de nada,
Por entre sombras
E pensamentos,
Sou uma simples
Alma apagada.

Perdi-me
Em mim,
Perdi-me,
No complexo nada,
No meio de distúrbios
E paixões,
Sinto-me
Um porta fechada.

Perdida no nada
Não sei o que
Quero saber,
Não sei o que
Eu estou aqui
A fazer.

Silêncio

Pensamento
A pensar,
Lembrança,
Memória
A pairar.

Sinal,
De quem nem tudo
Está bem,
Ato,
Palavra,
Que magoou alguém.

Incerteza,
Incerta,
Morte,
Bem esperta.

Sussuro

Um dia sussurraste-me,
Algo que me conseguiu
Maravilhar,
Em pouco tempo,
Eu comecei-me
A apaixonar.

Um dia sussurraste-me,
Algo fácil de soletrar,
Eu era a tua princesa
Perfeita,
Com quem querias namorar.

Nesse momento,
Eu sussurrei-te
Que sim,
Naquele momento
Completaste
Metade de mim.

Um dia sussurrei-te,
Algo difícil de entender,
Por engano meu,
Eu fiz-te sofrer.

Um dia sussurraste-me,
Que irias seguir
Em frente,
Porém, eu ainda
Saltitava o teu coração
Diariamente.

Um dia sussurraste-me,
Que conheceste um novo alguém,
Que ela te amava,
E que vocês
Estavam bem.

Um dia sussurrei
Ao meu coração:
-Que mal te fiz
Eu para ele me tratar assim?

Diretamente
Me respondeu,
Que fui eu
Que quis o fim.

Um dia sussurraste-me,
Que o que se passou,
Foia algo passageiro,
Que querias que eu volta-se,
Pois ainda pensavas
Em mim,
Durante o dia inteiro.

Passou-se tanto tempo,
E eu voltei-te
A sussurrar,
Perdi o orgulho,
Admiti,
Que te continuava
A amar.

Um dia sussurraste-me
Cinco letras,
Fáceis de juntar,
Era a tua linda
Princesa,
Era comigo,
Que querias ficar.

A única direção

Por entre
Entradas sem saídas,
Paixões,
Ilusões,
E vitórias merecidas,
Encontrei a minha
Verdadeira direção,
Seguir em frente,
Sem olhar,
A meias ao coração.

Futuro em primeiro
Lugar,
Miúda destemida,
Que deixa tudo
Para trás,
Quando quer triunfar.

Direção,
Guia-me
Á minha concretização.

Falta

Falta ao mundo
Sinceridade,
Falta nas palavras
A verdade,
Falta no sorriso
A pureza,
No teu olhar
A natureza.

Falta no teu poema
O amor,
No teu discurso
A frontalidade,
No teu drama
Dor,
No teu gesto
Sinceridade.

Falta-te
O que tens,
E que não soubeste
Ter,
Falta o dom fundamental
Do aprender.

Falta,
O que nunca existirá,
Faz falta,
ter o que há.

Incerteza

Se não tens
A certeza,
Dos teus sentimentos,
Sê sincero,
Sê verdadeiro,
Não faças ninguém
Passar
Por desnecessários
Maus momentos.

É incerto
O que sentes,
É incerto
O que tu crês,
É incerto que tentes,
É incerto o que vês.

A incerteza
Pode magoar,
A tristeza perfurar,
Um sorriso alegrar,
Mas apenas o tempo,
Te pode matar.

Incerteza.

Ruído

Alerta
Fundamental,
Pedido de socorro,
Um sinal.

Ruído,
Alguém,
Que não perde
Tempo
A executar
O último pedido.

Som estranho,
Irritante,
Melodia,
Música,
Deslumbrante.

Ruído.

Para sempre

O que era
Para sempre,
Finalmente acabou,
O que foi
Para sempre
Não ficou.

O que era
Para sempre,
Deixou de o ser,
Deste um passo
Em falso,
Deitaste
Tudo a perder.

O que é para sempre
Um dia será,
Sozinha,
Vou ser feliz
Até lá.

Mais vale um para sempre
Bem planeado,
Do que um passado,
E um presente furado.

O inacabado

Inacabado,
É o que nunca
Consegui completar,
Inacabado,
Foi o teu amor
Que foi pelo ar.

Inacabado,
Será o amor
Que eu crio,
O inacabado
Sou eu que guio.

Inacabado poema,
Inacabada canção,
Com dois versos,
Aperto-te o coração.

A resolução

Se queres algo resolvido,
Afasta-te de mim,
Mete-te
Na tua vida,
Antes que te aconteça
Algo muito ruim.

Se queres
Ser feliz,
Vai,
Mas não penses
Em voltar,
Depois disto
Tudo,
Nunca mais
Iremos voltar.

Se queres alguém,
Não venhas perturbar
Quem está bem.

A resolução,
É tu ires,
E não voltares,
A única resolução,
É nunca mais,
Me amares.

Eu sei

Eu sei que amei,
Eu sei que não fui amada,
Eu sei que errei,
Eu sei que fui humilhada.

Eu sei que perdoaste,
Eu sei que sofri,
Eu sei que me magoaste,
Eu sei que me iludi.

Eu sei que fui só
Mais uma diversão,
Eu sei que fui só
Mais uma,
Eu sei que não tens coração,
Eu sei que o que viveste
Comigo,
Não viverás com mais ninguém.

Eu sei que não te arrependes,
Eu sei que não
Te o estou a pedir,
Eu sei que é incerto
Que tentes,
Eu sei que não
Vais desistir.

Eu sei,
Eu amei,
Por fim,
Me enganei.

Caminho

Longa trajetória,
Notória,
A percorrer,
Dimensão
Universal,
Que já consigo
Ver.

Caminho,
Abertura
Na minha mente,
Destino
Que percorro
Diariamente.

Curto,
Ou longo,
Não interessa
Como será,
Mas sim
Que sou
Eu quem o traçará.

Caminho,
Luz na escuridão,
Esperança fluorescente,
Que te dá a mão.

domingo, 6 de abril de 2014

ATENÇÃO!

Venho por este comunicar que criei uma página com os meus poemas no facebook

https://www.facebook.com/pages/Um-poema-um-desabafo/466091780125649

Guerra

Guerra dentro
De mim,
Guerra sentimental,
Guerra sem fim,
Guerra do mal.

Injustiça do mal,
Justiça do bem,
Guerra começada
Por alguém.

Sorriso malicioso,
Revolta num olhar,
Discurso de quem
Não volta,
Apertada
Vontade de ficar.

Guerra,
Momento sacrificado,
Sentimento,
Coração
Perturbado.

Guerra sem fim.

A última luz

Acabou a felicidade,
Chegou o fim,
Fugiu a verdade,
Entro uma desilusão
Dentro de mim.

Paro,
Fecho os olhos,
Sinto o último
Raio solar,
Raio repentino,
Que nunca
Mais irá voltar.

 A última luz,
Sinal de tristeza,
Foi-se a luz,
Murchou a natureza.

Medo

Medo de te perder,
Medo de amar,
Medo de sofrer,
Medo de perdoar.

Medo de magoar,
Medo de sentir,
Medo de olhar,
Medo de fugir.

Medo de desistir,
Medo do amor,
Medo de reagir,
Medo da dor.

Medo de ti,
Medo dos teus sentimentos,
Medo do que vi,
Medo dos últimos momentos.

Medo de confiar,
E de ser desiludida,
Medo de escrever,
Medo da vida.

Medo, obstáculo
No meu crescimento,
Olhar repentino,
Mau pressentimento.

Perdão

Perdoei,
Mas não fui perdoada,
Amei,
E fui mal amada.

Perdoei,
Algo que não
Havia de perdoar,
Errei,
Voltei-me
A magoar.

Perdoei,
Deixei-me acreditar,
Que o que dizias,
Um dia,
Se iria concretizar.

Perdoei,
Um erro
Mal justificado,
Magoei,
E acabei magoado.

Perdão,
Vai e vem,
Toca e foge
Do meu coração.

O ontem

Tento pensar
No que foi,
Mas nada vem,
Tudo vai,
Menina indefesa
Que cai.

Foi passado,
Quis ser presente,
Foi futuro
Ficou temporariamente.

Tem asas,
É um vento
Que sopra,
Para se afastar,
Uma brisa
Que toca,
Que te faz deslindar.

Passou,
É passado,
Voou,
Assim foi,
Este contrato assinado.

Incompleto

Incompleto é quem
Não ama,
Sobretudo,
Quem não sabe amar,
Incompleto
É quem te chama,
Quem não sabe
O que é se apaixonar.

Incompleto
É alguém
Sem coração,
Sem sentimentos,
Alguém incapaz
De te dar a mão.

Incompleto é quem
Sente saudades,
E nada pode escrever,
É quem ama
De verdade,
Mas nada pode fazer.

Incompleto ser
De escuridão,
Ser indiferente,
Habitante
Da solidão.

sábado, 5 de abril de 2014

História Real

Era infeliz
Até te conhecer,
Eras tudo o que
Eu sempre quis,
Alguém incapaz
De me fazer sofrer.

Conheci-te
Tornaste-te
Tão especial,
Eras como um presente
Oferecido antes do Natal.

Quis um fim,
Mal pedido,
Dei cabo de mim,
Deixei-te ferido.

Tive noção do erro
Que acabei de cometer,
Fui falar contigo,
Para o nosso relacionamento,
Resolver.

Amavas-me,
Eras amado,
Vivíamos
Num mundo encantado.

Sonhava contigo,
Querendo que fosses
Sempre só meu,
Passado muito tempo,
O teu amor por mim
Morreu.

Afinal,
Vivia num mundo
Enganado,
Não eras o meu príncipe perfeito,
Mas sim,
O ruim sapo
Amaldiçoado.

Enganaste-me
Foste tão cruel,
Logo a mim,
Que sempre te fui
Tao fiel.

Mas a verdade,
É mesmo está,
Não há mais nada
A dizer,
É uma história real,
Não há nada a fazer.

Alcançar

Chegar,
Percorrer,
E lutar,
Três segredos
Para alcançar.

Alcançar,  um sonho,
A vida real,
Algo medonho,
Porém,
Que me proteja do mal.

Alcançar,
É querer,
É conseguir,
É percorrer,
É persistir.

Alcançar,
É só uma questão
De tempo,
Que te leva
A esperar.

A hora do adeus

Bem,
Eu não quero,
Mas tem mesmo
Que ser,
Veio sem mais
Nem menos,
Não deu para entender.

Não parto
Por vontade própria,
Mas sim por
Obrigação,
Que posso
Eu fazer?
Eu já não
Tenho o meu coração.

A hora chegou,
Tenho mesmo
Que ir,
Não sofram,
Mas sorriam
Ao mundo por mim,
Seria tão cruel,
Ver-vos desolados,
Nesse estado ruim.

Chegou a hora.

terça-feira, 1 de abril de 2014

O ultimato

Ou me amas,
Como se ama
Uma mulher,
Ou vais embora,
Agora,
E nunca mais te
Voltarei a ver.

Ou me amas,
Unicamente
A mim,
Ou irás ter
Um misterioso
Fim.

Ou me respeitas
E me tratas
Bem,
Ou eu,
Irei em busca,
Á procura,
De um novo alguém.

Ou falas
Tudo o que tens
 dizer,
Ou mais ninguém
Te irá ver.

Este é o teu ultimato,
Ou vives a vida,
De uma só vez,
Ou eu te mato.