Blogs de Portugal

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Ó mãe

Ó mãe, o mundo anda tão pobre!
Já ninguém ama
Todos se matam
E ninguém os socorre!

Ó mãe, minha mãe, vê só!
Há quem tenha muito
Outros nada têm
E neste meu país
São mais os que vão
Do que os que vêm.

Ó mãe, mãezinha
Olha que eles criam tudo
E destroem em demasia,
Mãe, leva-me mãe
Senão eles acabam
Com a minha poesia.

Ó minha mãe!

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Bom dia

Muito bom dia a todos os meus seguidores e admiradores da minha poesia. Tenho notado que ganhei novos visitantes no blogue e novas pessoas a seguirem os meus poemas e como não sei quem são ao certo agradecia que comentassem para saber e puder agradecer. Um beijinho enorme e um excelente dia.

Ainda

Prometi guardar segredo
Do que te espera
Com medo que um dia
Por acaso ou ocasião
Te levassem de mim,
Sei que não sou boa com versos
Mas pode ser que um dia
Por ordem do destino
Ou do coração,
Eu me declare a ti.

Sei que te quero
Isso eu não nego
Mesmo que por vezes
Fosse melhor não demonstrar,
Mas eu amo-te
Da Terra ao Sol
E do Sol ao mar.

domingo, 22 de outubro de 2017

Tu novamente

As notícias no jornal
Hoje só falam em ti,
Tu mais a tua estranha
Forma de ser...
De certo modo condicionaste-me
A mim
E à minha maneira de viver.

Gostava de ser forte
De ter uma alma elástica
Que se estica-se
Mas que por mais que tentasses
Ela não se estilhaça-se.
Mas depois destes anos todos
Eu já consegui entender,
Que mesmo que queira
Nem sempre querer
É poder
Porque se assim fosse
Eu queria-te
E tinha-te num instante,
Chega de sermos só amigos
Quando é que vamos mais adiante?

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Por acaso

És o acaso
Mais lindo de toda
A minha vida
Por muito pouco tempo
Que me resta nela,
Eu dava tudo por ti,
Da mais grutesca coisa
Até à coisa mais singela.

Por acaso cheguei
A conhecer-te lá na aldeia
No dia em que a tua mãe
Te mandou á fonte.
Tu não sabias o que andava eu
A fazer,
Mas se não sabes...
O teu pai que te conte!

Foi um acaso interessante
Por acaso,
Vê lá se para a próxima
Não chegas atrasado
Se não temos o caldo entornado,
E eu comer só mesmo
Na tigela.
Se não houver, vai na panela!

Por acaso...

terça-feira, 12 de setembro de 2017

O mundo

Resultado de imagem para o mundoO mundo cai
Gira e rebola
E torna a cair.
Vejo a ambição
A falar mais alto
Que qualquer coração,
Mas afinal o que está por vir?

Jogasse com vidas
A morte tornasse

 algo banal,
"Morreu mais uma criança
Na Síria".
-"Oh, não faz mal!"

Vejo robôs de carne e osso
Pois para mim chamar alguém
De "ser humano" implica emoções,
Dizem que sou poeta
E por ter este título
Gosto de falar com razões.

Dizem que "amor com amor
Se paga" e é por isso que andamos todos
De mãos a abanar,
Hoje em dia é mais difícil
Arrancar uma flor
Do que encontrar alguém
Para amar.

Portugal arde mais de metade
E ninguém quer saber,
Porque não te preocupas
Com os outros?
Não é a tua casa
Que está a arder?

No México perdes o trabalho
De uma vida inteira
Em cinco segundos,
Quando acabar este
Pensas que existirão outros mundos?

Em África a fome,
Na China o carácter rígido
Até demais,
Vivemos todos no mesmo mundo,
Temos defeitos diferentes,
Ou somos todos iguais?

Prometo

Resultado de imagem para prometoPrometo mesmo sendo incapaz
Ir atrás,
Mesmo sendo impotente
Não estar ausente,
Prometo!

Prometo cair
Prometo sem motivos
Sem razões, sorrir,
Eu prometo!

Prometo lutar!
Prometo acreditar
Que vou atingir os meus sonhos
Prometo seguir em frente
Com o objetivo sempre
Em mente
Mesmo que não sejam risonhos.

Prometo gritar
Prometo escrever
Prometo abanar o mundo
Até ele me puder ler.

Prometer?Eu prometo!