sábado, 20 de agosto de 2016

São horas!

Resultado de imagem para Já são horasSão horas
De voltar,
Horas de partir,
São horas em que choras
São horas em que paras de sorrir.

Mas já são horas
De te levantares
E ires à janela e gritares
Àqueles que se fazem surdos
Perante a tua voz,
Se desta vez não te ouvirem
Quem vai lá
Não sou eu,
Muito menos tu,
Mas sim, tens razão
E falas com coração,
Que seremos nós.

E não tardam
A chegar as horas
De mais uma vez
Me contares as tuas histórias
Com fé e esperança
Que eu vá mesmo acreditar
Nessa balela que me contas
Nessa mentira
Que não vai durar,
Pois não passa tudo de ficção,
De uma armação
Com que me estás
A tentar enganar,
E sabes que mais?
Não vai resultar!

Mas vá, já são horas
De despertares,
Os sonhos sonham-se
A dormir,
Mas é bem acordada
Que tens de lutar.

Já são horas!


Conta-me a história...

Resultado de imagem para conta-me a história avóAvó, avozinha,
Será que me podes contar
A história da tua vida?
Vá lá, avó, eu quero saber,
Quero ouvir-te contar,
Eu sou pequena
Quero imaginar-te.

Conta-me então minha avó,
Minha mulher,
Quantas foram as vezes
Que foste realmente feliz?
É verdade que a tua história
Com o avô é um romance?
É mesmo verdade o que ele me diz?

Avó, ó avozinha,
Quantas vezes sorriste
Ao longo da tua eterna caminhada?
É verdade que a mamã
Te acordava sempre
Aos gritos
Ainda de madrugada?

Mas ó avó,
Sentiste medo
Em algum momento especial?
É normal, penso eu,
Ou  avó,
Isso era um segredo?

Só mais uma coisa
Uma coisinha
Minha avozinha,
É verdade que nesta vida
Já choraste,
Já sorriste,
E já sofreste?

Mas ó avó,
O que viveste?