quarta-feira, 29 de março de 2017

Promete

Resultado de imagem para prometePromete que ficas!
Promete que se te fores
Eu também vou,
Jura que me amas,
Que eu juro que te amo
Como nunca ninguém te amou.

Promete que cuidas de mim,
Promete que não me vais deixar,
Promete que vais comigo
Até ao fim,
Promete que não me vais largar.

Promete,
O que me tens
A prometer.
Jura,
O que me tens a jurar,
Fica a meu lado
Agarra a minha mão
E faz-me sonhar.

Promete amor!

Ps: Este poema é dedicado a alguém muito especial para mim, ao meu namorado, Amo-te hoje e sempre.

domingo, 26 de março de 2017

Os outros

Resultado de imagem para os outrosOs outros falam
E falam
Porque só vêem
Do lado de fora,
Mas se estivessem
No teu lugar
O que fariam
Eles na hora?

Os outros olham
E comentam
Como se a vida
Não fosse tua,
Esta gente não pensa,
Não age,
Encara a vida
Como um teatro
Onde finges um retrato
E algo que sabes
Que não sentes
De verdade,
Enquanto eles vivem
Para o público,
Eu vivo
Só para a Humanidade.

Os outros sentem
Por mim
Aquilo que eu não sinto
Por ninguém,
Eu estou
De pazes feitas com a vida,
Encontro sem a saída,
E é assim
Que eu estou bem.

Mas os outros
São só os outros,
E eu sou só uma
Mas aquela
Que apela á tua voz,
Se te juntares a mim
Não fico só eu,
Não ficas só tu,
Ficamos só nós.

sábado, 25 de março de 2017

Diz!

Resultado de imagem para fazer algoDiz, se tens mesmo que dizer,
Abraça,
Beija
E enfrenta a vida
Só porque é isso
Que tens que fazer.

Ama,
Se sentes amor
Por alguém,
Manda-o embora
Se ele não te fizer bem.

Sofre
Porque tens que sofrer,
Porque quem sofre
Também vive
E acaba sempre
Por aprender.

Beija,
Se for essa
A tua vontade,
Agarra-o
Se quiseres viver
Com ele até à eternidade.

Mata
Aquilo que teima
Em te magoar,
Se te magoa
Não é bom
E tem necessariamente
Que acabar.

Mas se for preciso
Diz!
Diz mesmo por dizer,
Quem te ouve
Também sente,
E não precisa mais de ver
Para querer.

quinta-feira, 23 de março de 2017

A calmaria caiu do céu

Resultado de imagem para neve a cairDe madrugada
Os arrepios já se faziam
Sentir,
A noiva estava nervosa
E por vezes
Deixava-se cair.

Porém de manhã
Deixou de exitar
Ganhou coragem
E depressa
Num passo largo
Começou a esvoaçar.

O povo aderiu
De cabeça à janela,
E muitos gritavam:
-Oh vejam só como ela
É bela!

Todos se pasmavam
Sobre o vidro embaciado,
Não estavam em Nárnia
Mas todo aquele mundo ao seu redor
Ganhava o apelido de "Encantado".

Mas ela passou
Casou e fugiu,
E por terras próximas
Dizem por aí
Que nunca mais se viu.

Provavelmente sentiu-se
Envergonhada,
Pois cair em plena Primavera
Era coisa
Que a todos estranhava.

Mas sem se contar
Começou-se a olhar,
E a calmaria caiu do céu,
Não trouxe o vestido
Mas por cá ainda deixou o véu!