Blogs de Portugal

domingo, 20 de dezembro de 2015

Atenção!

Caros leitores e seguidores do meu blogue, venho assim desejar-vos um excelente Natal, perto daqueles que tanto amam, e que tenham tudo a que têm tanto direito.
Amor, paz, carinho, ternura... tudo o que há de bom no mundo.
Despeço-me então deste modo, voltarei depois desta quadra festiva, com muitos mais poemas.Aproveitem bem estes dias, de paz, amor, união e solidariedade.Cultivem no mundo, o melhor que há em vós.
Até Breve.
Com os meus cumprimentos    
                                                    Emília Silva.

Ver-te-ei novamente

Resultado de imagem para Ver-te-ei novamenteE hoje, nove de Abril
A tua partida
É assinalada
Por mim,
Numa carta selada
Que nem tem direção
Mas sim um coração
Que busca matar
A saudade
E desenterrar
A felicidade.

A chuva
Que se faz sentir,
São as tuas lágrimas
Inundadas de orgulho
E paixão,
Não molham o meu rosto,
Mas afundam o meu coração.

O dia da nova partida
Chegará,
E o do reencontro também,
Por mim,
Por nós,
Mantém-te bem.

Estou cansada

Resultado de imagem para Estou cansadaEstou cansada
De dizer que te amo,
Quando para ti
Isto é apenas uma incerteza,
Estou cansada
Que me afirmes
Que não te amo
Com amor natural.

Estou cansada
De olhar o mar seco
Com a água nos meus olhos,
Estou cansada
De caminhar,
Por este campo
De abro-lhos.

Estou cansada
Da alegria,
Quando já nem
Sou capaz de sorrir,
Já não tenho magia,
Tenho é coragem
Para desistir.

Porque...
Eu estou cansada.

Palavras para quê?

Diz-me
Ó bela flor,
Para que quero eu
As tuas palavras
Se me dás todo
O teu amor?

Mas diz-me,
Evoca-me se quiseres,
Entre flores,
Entre mulheres,
Entre mil dores.
Tu não precisas
De palavrear,
De declarar,
De gritar,
Tu precisas de sorrir,
Sem motivo
Mas com razão,
O porquê de morares
Dentro do meu coração,
Ó minha linda noite de São João!

Por isso te digo,
Te grito,
Enlouqueço
E num arrepio
Estremeço,
E te sussurro.

Palavras para quê?


domingo, 29 de novembro de 2015

Não faz sentido

Resultado de imagem para nao faz sentidoNão,
Não faz sentido
Toda essa tua conversa
De conquistador,
Se tu és um mal amado,
Não chegas a ser um apaixonado,
Mas sim,
Um bandido.

Já não faz sentido
Todo aquele olhar
Sorriso,
Ou maneira de falar
Se tu deste tema
Não sabes nada,
Para ti, meu amor,
Isto é uma rima
Acabada.

Mas não faz sentido
Tanto cuidado,
Tanto carinho,
Se tu já estás
Pronto,
A percorrer
O teu novo caminho,
Determinado.

Não faz sentido
Continuar a magoar-me
A maltratar-me
Se tudo o que há
São apenas restos
De uma dor,
E de um fraco amor.

Não faz sentido!

Denuncio-te nesse olhar

Resultado de imagem para denuncio-te nesse olharA tua boca está calada,
A tua primeira palavra,
Tu estagnas-te,
E eu mulher apaixonada,
Ridicularizada,
Tu com esse teu olhar
Denunciaste.

Roubaste-me
O interior de uma vertigem,
Instauraste
A paixão,
Seu traidor, meu furacão.

Um rouxinol

Um rouxinol
Emplumado,
Extremidade
Do meu ouvido
Chilreou,
Uma canção
Alucinante,
Que puramente
Me encantou.

Som desconhecido,
Vibrante,
Ao meu entender,
Nota intima
Flutuante,
Saída
Do paraíso.

Ave esvoaçante,
Que me veio
Pasmar,
Ruído
Hilariante
Que me faz paralisar.

Som delicado,
Mundo impressionado.


quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Volta

Resultado de imagem para voltaTu sabes que eu já te perdoei,
Mesmo parecendo
Que não te entendo,
No fundo
Tu sabes
Que eu seria capaz
De ir ter contigo,
Mesmo agora,
Neste momento.

Volta,
Sabes que é aqui
O teu lugar,
É agora ou nunca
Eu vou-te encontrar,
Sabes que eu te venero
E quero-te aqui a meu lado,
Se isso não é possível
Eu vou para onde tens estado,
E podes acreditar,
Que eu vou estar
Ao pé de ti,
Eu não estou bem
Aqui.

Vem buscar-me,
Amanhã poderá
Ser demasiado tarde,
Para continuares
A amar-me.

Volta.

Porque tu sabes

Resultado de imagem para porque tu sabesTu sabes
Que eu não vou cá estar,
E isso será mais cedo
Do que o pensado,
Não tenhas medo
Eu vou continuar
A amar-te
Mas não vou estar
A teu lado,
Sabes que tudo isto
É errado,
Mas eu preciso de ir,
Preciso de fugir,
Por vezes
É preciso desistir,
E deixar de insistir
Em algo
Sem objetivo.

Porque tu sabes
Que quanto mais te sinto
Mais me quero libertar,
Dos pensamentos
Do passado,
Que só tu sabes habitar,
Só tu me fazes bem,
Não te tenho hoje,
Tive-te ontem
E deixei-te ir,
Pensando em ti hoje
Só sei sorrir.

Porque tu sabes
Que se eu pudesse
Eu trazia-te de volta,
Eu fazia-te feliz,
Eu abraçava-te com toda
A força,
E dizia que fui eu que quis
Porque  no fundo eu amava-te
E continuo a amar,
O tempo passa,
E eu sei que não voltarás,
Suspeito que daqui a nada
Me encontrarás.

Porque tu sabes,
Que vou a caminho...
Espera por mim!

Infância

Resultado de imagem para infânciaE foi naquele ninho de amor
Onde um dia cheguei
A nascer,
Fui novidade
Para meio mundo,
Mesmo mundo,
Mesmo não me conhecendo
Toda a gente
Me veio ver.

Entre a saia da minha avó
E a blusa da minha mãe
Guardo o segredo do cantinho
Que nunca ninguém soube
Conhecer,
Tão amoroso tão pequenino,
E meu,
Só mais duas pessoas
O poderão amar.

Um dia levo-te lá
E conto-te uma história,
Quando o cão comeu o rato,
Tudo ficou na minha memória!

Material vital

Resultado de imagem para palavras e atitudesPalavras voam,
Atitudes ficam,
E provam o quanto
É bom amar
Alguém,
Frases ditas,
Essas leva-as o vento.

Para ganhares
Tens que agir,
Para triunfares
Não podes desistir.

A vida é feita
De emoções
E expressões
Simples,
Material vital.

domingo, 22 de novembro de 2015

No teu rosto

Ontem madruguei
Para te ver,
Ai bela,
O quanto eu amo
Aconchegar
Essas maçãs
Que nascem
Estreitamente,
No teu belo
E adocicado pomar,
Aquelas que mordo
Com vontade
De ter como meu paladar.

Passeio
Pelo teu rio,
Como o homem do leme
Que o barco levou,
Sinto a brisa fresca
Que o inundou.

Nessa tua mina,
De cristais cristalinos,
Ai bela,
Eu gosto tanto
De me aventurar,
Pobre de quem
Lá entre
E não saiba
Degustar.

Nesse teu belo rosto
Que me acolheu,
Nas noites de Agosto,
Ai bela,
Já nem me consigo
Maravilhar,
Tu és um tesouro iludido
De ilusão,
Quem lá cair
Ai bela,
Fujam eles
Pobres coitados,
Porque tu,
Minha laranjeira em flor,
Roubas-lhes
O coração,
E eu bem sei
Que não é por amor.

Do teu rosto,
Eu já não tenho
Nada que ver,
Agora vem até mim,
Para eu melhor entender.ç

Ao teu encontro

Resultado de imagem para Ao teu encontroChegou a hora
Já estou de saída,
É agora,
Estou pronta,
Para mudar a minha vida.

Estou tão perto
De ti,
Faltam-me as palavras,
Vai-se o ar,
Toca-me o sentimento,
Vem até mim,
Uma louca vontade de te amar.

Está quase
Na hora,
Mas não me faças
Esperar,
Alguém que se ama,
Nunca se deixa morrer.

Hoje,
Vou
Ao teu encontro.

Viver

Resultado de imagem para viverÉ não ter asas
Mas não perder
O desejo de voar,
É não ter sonhos,
Mas continuar
A lutar.

É olhar o mundo
Com vontade de vencer,
Aceitar o presente
E crer.

É não desistir
Daquilo que um dia
Te guiou,
Continuar em frente
Com quem te apoiou.

Viver
É apenas
Um verbo
Com inúmeras
Maneiras de se conjugar,
Basta ser criativo
E arriscar.

Viver.

Alguém especial

Resultado de imagem para alguem especialÉs apenas
Uma criança,
Que me conquistou
Com a sua canção,
Um músico
De rua,
Para quem dou a mão.

És um sorriso
Difícil
De conquistar,
Um olhar,
Incerto,
Impossível de desvendar.

Gostava que me levasses
Ao teu mundo,
Aquele em que ninguém
Pode entrar,
Abrisses a tua porta,
E me mostrasses
O quanto é bom amar.

Cada olhar,
Sua lembrança.
Cada toque,
Sua esperança.

Preciso

Resultado de imagem para precisoPreciso apenas
De viver,
De abrir os olhos
Sem chorar,
De abrir o peito
E não sofrer,
De abrir a alma
Sempre pronta
A amar.

Preciso simplesmente
Que alguém pouse
Sem hora para voar,
Alguém capaz
De me valorizar.

Preciso somente,
De um sorriso,
Para ser feliz,
Preciso de pouco,
Como podem ver,
Porque com o essencial,
É que se aprende
A viver.

Meu amor

Meu rubi,
Não vale a pena
Fingir,
Nem tentes
Sequer,
Eu juro
Que não percebo
A razão
De tanto fingimento,
Se tu me amas,
Ou pelo menos
Dizes amar,
Porque te vais?
Eu enlouqueço
Isto para mim
É demais!

Para falar
Verdade,
Só para ser sincera,
Como tu deverias gostar,
Eu declaro,
Que este tema
Já me aborrece
Sim,
Já me corrói
Há muito tempo,
Por tanto,
Peço-te cuidadosamente
Que te decidas,
Sei que não é fácil
Para ti,
Mas tenta
Por mim,
Ó meu amor
Tenta
Meu jasmim.

Ó luz do meu
Amanhecer,
Decide-te,
Liberta-te,
Não fiques aí
Com o teu pobre
E bondoso
Ser a doer.

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Quero-te de volta

Resultado de imagem para quero-te de voltaHoje,
Talvez tarde demais,
Percebi,
Que me fazes
Falta,
Tanta,
Que nem a sei contar,
Um número incalculável,
Incapaz de se imaginar.

O que me resta
De ti,
É uma foto,
E a última carta
Que escreveste.

Lá,
Fomos tão felizes,
Estávamos tão longe
Do fim,
Longe de erros,
Longe desta situação,
Ó meu sol de Inverno,
Amei com o coração,
Criamos um amor tão terno,
Mas que tu,
Só tu destruíste,

Sei que já falei,
Bem,
Já discutimos tudo,
Mas a culpa
É minha?
Fui eu que me fui
Embora?

Não!
Pois não, eu sei,
Fui a única
Que te aceitou
De volta
Por pensar
Que fosses capaz
De mudar,
Mesmo assim,
Tu preferiste ir,
Com um sorriso
Naquela boca,
Que eu beijei,
Sempre a sorrir.

Não vou voltar
A gastar palavras,
Com alguém
Que não as sabe interpretar,
A decisão é tua,
Só tu sabes
Se queres voltar.
Eu estarei aqui,
Até um dia...

Não te demores,
Talvez um dia,
Eu vá,
E não volte
Nunca mais.

Quero-te,
De volta.

Guardei

Sei,
Eu sei
Que me vais chamar
De louca,
Ou talvez
Até doente,
Mas eu vou-te relembrar
O que o meu coração sente.

Guardei
O teu cheiro
Num lugar
Dentro de mim,
Comprei
O teu perfume,
Aquele de jasmim!

Guardei
As tuas obras,
Para adormecer
Feliz,
Afinal,
Isto é tudo
O que eu sempre quis.

Guardei
O teu nome,
Para te poder
Chamar,
Na gaveta do nosso
Quarto,
Um vídeo,
Para me recordar de ti.

Guardei o peluche,
Sim,
Aquele de quem
Eu tive ciúmes,
Por te poder abraçar,
Guardei a tua camisa,
Para passar.

Guardei
O teu rosto,
Na mesinha da poesia,
Onde naquelas
Noites de Agosto,
Ó, tu fazias magia.

Guardei-te,
Num lugar,
Onde só eu,
Mais ninguém
Te pode encontrar.

Olha para mim

Olha nos meus olhos,
Diz o que vês,
Será que eu mereço
Tantos porquês?

Olha para mim,
Diz-me o que sentes,
Diz-me o que
Vai aí,
Nesses teus olhos reluzentes.

Olha para as minhas mãos,
Segura bem nelas,
E por favor,
Não as deixes
Cair ao chão.

Olha,
Mas olha
Com ternura,
Eu asseguro-te
Que isto,
Este sentimento,
Não é só uma aventura.

Olha para mim!

sábado, 3 de outubro de 2015

A noite de Natal na vila

A família estava reunida,
E eu a chorar de felicidade.
Estávamos de novo juntos
Era novidade.

Lá fora fazia frio
Porém o meu coração
Fervia de alegria,
Era Natal,
E esta era a magia.

Fomos juntos até
Ao largo
Como mandava a tradição,
E juntos aquecidos
Pela enorme fogueira,
Demos a mão.

E ali ficamos
Até perto da chegada
Do novo dia,
De seguida
Na partida,
Fomos para casa
Cheios de amor
E euforia.

Todos nos amamos,
Todos nos abraçamos,
E ainda mais juntos,
A época festiva
Festejamos.

Era Natal,
Era normal!

O último suspiro

Ouço o teu coração
Acelerado,
Descansa,
Eu estou aqui
A teu lado,
Meu anjo perfumado.

Este som perfura
E corrói,
O que em mim
Mais dói,
Pára,
Recua,
Fica só por mais
Um segundo,
Pensa,
É nesta cama
De hospital que sobrevoa
O meu mundo,
O meu rouxinol.

Levanto o teu véu
Contigo em meus braços
Não vais mais para o céu,
Eu darei por ti os teus passos,
Custe o que custar,
Tu hoje,
Amanhã e ontem
Não me vais deixar,
Estou aqui para te amar.

Eu estou aqui!

domingo, 13 de setembro de 2015

Chegará

Está perto,
Tão perto,
Que tu não sabes
Que chegará
O dia do meu fim,
Porque tu também
Sabes
Que perdi tudo
De mim,
A minha alma,
A minha canção,
O meu coração,
A minha calma.

Está quase,
A ser,
O dia em que em ti
Irei desfalecer
Chegará,
Mergulharei num manto
Branco,
Cor da tua pele,
Nessa noite meu amor,
Minha flor
É teu o papel principal.

Chagará
Agora,
O dia do para sempre,
E logo a seguir
O do nunca mais,
Vou desistir,
Leva este poema
Até aos meus pais.

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Grito

Solta a alma
Da moldura envidraçada
Suspensa no ar,
Solto o sono profundo
Que pesquei em alto mar.

Estou a delirar,
Alguém me ajude,
Alguém delire,
Alguém me cure,
Alguém se ria.

Sai alma
Petrificada,
Viúva rancorosa,
Sai alma,
Mas tem calma,
Cuidado com a vida amorosa.

Grito,
Salto,
Abano-me sem cura,
Sou eu em frente
A um espelho,
Entregue á loucura.

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Ser Português

Ó Portugal,
De nossos olhos
Caem mil orgulhos
Por te vermos
Tão único
E lindo,
Ó meu pais,
Ser português
É mais do que
Crescer em ti
A nossa raiz.

Quem te reconhece
Logo sabe que amas
Quem te sabe amar,
Ó Portugal,
Aí que belo mar
Vós tendes.

As tuas cidades,
O teu vinho,
A tua paisagem
Só te dão felicidades,
Quem olha não se cala
Por tal beldade te pertencer,
Somos um pais guerreiro
Cujo objetivo é vencer.

Ser português,
Afinal é fortalecer na alma,
O que não sai do coração,
É lutar contra tudo,
E contra todos, juntos
Pela nossa nação.

Reage

Anda,
Ajuda-me,
Eu não te posso perder,
Ainda é cedo
Para te ver ir,
Eu não hesitava,
Se te pudesse salvar,
Eu salvaria.

Reage!
Sente a força
Que exerço
Em ti,
Tu és tão importante,
Anda para aqui!

Isto não é o fim,
Pois não quero acreditar,
Reage,
Não me voltes
A fazer chorar,
Eu não te quero perder
Quero fugir,
Tu não me podes
Resistir.

Reage,
Estou á espera,
Ainda não chegou
A hora,
Não chegou
A Primavera.

Reage...

Eu ainda acredito

Acredito que tu
Ainda vais ficar,
Eu prefiro iludir-me
Do que desistir
De ti,
Porque eu sou mesmo
Assim,
Não vais partir
Mas sim residir
Em mim,
Tu és forte,
Mantenho-me fiel
A esta situação
Tão cruel
Até á morte,
Viverás diariamente
E eternamente
No meu coração.

Eu ainda acredito.

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Enche-te de coragem...

Enche-te
De coragem e vai,
Pois esse teu olhar
Nunca cai,
E dele suspende-se
A tristeza,
Viva por dentro,
Por fora com fraqueza.

Enche-te de coragem...
E vai,
Por esses montes
Verdes amarelados,
E que esses teus olhos
Escuros,
Não sejam encontrados.

Volta,
Enche-te de coragem.
E volta a ir,
No longínquo
Oriente vejo
O teu sorriso
A pedir
Que vás,
Mas que por entre
Esses abro-lhos
Vás atrás
E sejas capaz
De me voltar
A encontrar,
A amar,
E a suspirar,
Pelo meu ser,
Ó meu homem
Por ti hei de morrer.

Enche-te
De coragem e vai...
Porque descalço
Pela cinza,
Tudo muda
De cor,
Até o amor
Que era espinho,
Se torna flor,
Enche-te de coragem e vai...

Carta final

Esta é a carta
Onde conto
Como te deixo,
Sei que é difícil,
Mas eu também
Não me queixo.

No fundo,
Sabes que eu
Já queria ir
Há muito tempo,
Deixa-me ir,
Vá lá!

Eu irei continuar
A cuidar de ti,
Longe mas perto,
Sabes que este assunto
Há muito estava descoberto.

Desculpa
Se te magoei,
Ou maltratei,
Não era a intenção,
No fundo queria
Partilhar o meu amor,
O meu coração.

Adeus,
Um dia
Saberás o porquê
Desta carta,
No final,
Isto é só mais
Uma simples marca.

Eu estava
Com saudades,
Desculpa...
Adeus!

domingo, 26 de julho de 2015

ATENÇÃO!

Olá, boa tarde, vim por este meio anunciar aos meus caros, visitantes e seguidores do meu blog, o meu outro novo mundo.Se gostarem sigam e divulguem, ainda estou no inicio e preciso do vosso apoio.Com os meus cumprimentos, Emília Silva.

Link: http://thenewcriation.blogspot.pt/

segunda-feira, 22 de junho de 2015

Desisto ou não?

Percorro cada pista
Que me dás como
Um dia percorrerei
A tua alma,
Percorro como sei,
Com força de vontade
E confiança de que te vou
Encontrar,
Só espero que não seja tarde,
E eu,
Ainda vá a tempo
De te amar, a ti.

És tão difícil
De aguentar,
Já não sei se continuo,
Se amuo,
E fico por aqui,
Se desista,
Sim!
Se desista de vez de ti.

Mas tu vens
E pedes que fique,
Que mais me falta
Fazer?
O caminho já está traçado,
O amor prontinho e arrumado,
É desta que te vou trazer,
Faço tudo para te voltar
A receber.

Não desisti,
Ainda permaneço imune,
Mas apenas
E só por ti.
Não desisto
De te encontrar.

Enigmática

Resultado de imagem para enigmáticaNão sais de mim,
Estás presa,
Mas eu quero-te libertar,
Deixar que mostres
Quem és,
E o porquê de me perseguires
De insistires
E, algo
Que desconheço,
Se calhar,
O problema vem de mim,
E sou eu que não te mereço.

Não sei se te amo,
Mas vives no meu coração
Não sei se é bom,
Ou mau ver-te
E não poder ter-te,
Não é bom para ninguém,
Viver nesta situação,
Nem mesmo para alguém
Como tu.

Ocupas os meus
Cinco sentidos,
Fazes-me perder,
No mar de emoções,
No qual te vou finalmente
Encontrar e a que me vou unir
Ao teu coração,

Quando te vir,
Não quero que estejas
Sozinha, mas sim acompanhada
Pelo nosso fruto,
O produto de uma noite,
A  noite,
Resultado de uma paixão,
Estrela cadente rumo
Ao meu coração,

Desta vez...
Não é ilusão!

sábado, 30 de maio de 2015

Naquela porta

Bati à porta da tua alma,
Mas tu deste um sinal de ausência,
Esperei por ti
Ao amanhecer,
E sem querer
Fugiu-me a paciência.

Naquela janela embaciada
Ficou no dia da minha partida,
A tua mão marcada,
Durante uma certa temporada,
Até que a encontraste.

Naquela cama de casal
Vi-te correr sonâmbula
Naquelas noites
Onde o vendaval
Assobiava,
Eu entre lençóis
Sozinha, lúcida,
Ali ficava,
Não tinha para onde ir,
Muito menos fugir,

Naquela porta,
O nosso beijo aconteceu,
Naquela lareira,
O nosso amor ardeu,
E no meio de tal paixão,
Um dia...
Anoiteceu.

domingo, 26 de abril de 2015

Não esperes

Resultado de imagem para Não esperesNão estejas
À espera
De alguém
Para tornar
A tua noite especial,
Não esperes
Que a Primavera
Mais bonita venha
Depois do Natal.

Não,
Não vale a pena
Esperar,
Por alguém
Que já partiu
E não sorriu,
Alguém que não te viu
Chegar.

Vai atrás,
Não esperes
Que vá até aí,
Porque eu estou bem.
E não vou dar
Nem mais um passo
Por ti.

Não esperes
Por nada,
Luta se queres
Realizar,
Porque quem espera
Também se cansa,
E nada acaba por ganhar.

Então vá...
Não esperes, vai!

Tu querias?

Resultado de imagem para Tu querias?Eu dava um sorriso
Para te poder ter,
Dava o corpo
Às balas,
Para não te ver sofrer.

Eu dava uma palavra
Para te ver feliz,
Dava um grito
De alegria,
De vontade,
De magia,
Só para te poder
Tocar,
Olhar em teus olhos
Escuros,
E sentir
O prazer
Do que é amar.

Eu dava o mundo
Ao universo,
Para te poder ouvir,
Deitava-me no chão
Pérfido,
Para não te sentir cair.

Eu dava tudo
Era só tu pedires,
Dava-te
Um olhar,
Pedia para sorrires,
Ensinava-te
A amar,
Abraçava-te
Para não fugires.

Eu dava...Tu querias?

Não é o fim

Resultado de imagem para não é o fimUm soldado
Pode morrer,
Uma folha cair,
Alguém pode sofrer,
Mas não deves desistir.

Se uma gota cair,
Se amanhã eu não sorrir,
Se eu me magoar,
Se eu não voltar a amar,
Eu não vou parar
De lutar,
Eu vou acreditar.

Se todos te criticarem,
Se ninguém ajudar,
Vai à luta,
Ainda tens um sonho,
Um elogio
Para realizar.

Vai em frente,
Isto não é o fim,
É apenas uma parte
Da vida,
Que tem de ser assim...

Acredita,
Não é o fim...
Lembra-te de mim.

Quando

Resultado de imagem para quandoQuando o medo parte,
E com ele toda a minha
Cruel e dura insegurança,
Cresce no meu coração
Amor e esperança.

Quando tudo
Parece desabar,
Acredita,
Tu tens que lutar.

Quando pensares
Que o fim chegou,
Não fiques triste,
Não fiques só,
Foi só algo que melhorou.

Quando o teu
Olhar pedir luz,
E a tua boca
Um beijo
Pensa em mim,
Pois sou eu
Que te desejo.

Quando um dia
Passar,
Acredita,
Nada vai piorar.

segunda-feira, 30 de março de 2015

O reencontro entristecido

Resultado de imagem para ida a um cemiterioAs minhas mãos
Estão suadas,
A minha cara quente,
As minhas lágrimas
Estão cansadas,
E este sofrimento
Só eu,
Mais ninguém sente.

As portas do portão
Do céu,
Estão abertas,
Já não me vais ver
De véu,
Agora, digo adeus
Às tuas palavras
Certas.

Desço a escadaria
Passo a passo,
Como se tivesse
Medo de te magoar,
Estou entregue à tristeza,
Consegui-te encontrar.

Aquela lápide,
Aquele pequeno verso
Com sentido de calmante,
Não me dá amor,
Dá-me a tua dor,
Torna-me angustiante.

Toda essa pedra,
A fotografia
Nos teus últimos dias de alegria,
Causa-me hoje
Uma enorme interrogação,
Do tamanho da nossa amizade,
Do tamanho do teu coração.

Ficam as flores,
E eu deitada
Na tua sepultura,
E como nada
Mais nada posso fazer
Vou contigo morrer,
E deixar
Este poema
Como moldura.

sábado, 14 de março de 2015

A despedida

Resultado de imagem para despedidaEram cinco da tarde,
Quando decidiste partir,
Olhando esta vida
Não encontro motivos
Para sorrir,

Tu deitado naquele ruidoso caixão,
Eu de silêncio, choro e rosas na mão.
Tive que te deixar ir,
Ficando eu de lágrimas na alma,
Não me peças para prosseguir
A minha vida,
Muito menos ficar calma.

Estendido estavas
E da tua voz ouvia-se um som
Abafador,
Eu, múmia derrubada
Abalei-me pela dor.

Hoje dói,
Escrever-te quando sei
Que não vou ser correspondida
Não lamentes,
Vou continuar assim,
Aqui, no meio da multidão,
Só, e estendida,
Mão no coração,
Olhos semicerrados,
Lágrimas em punho
Na ferida.

Permanece á minha espera,
Meu anjo cintilante

domingo, 1 de março de 2015

Eu teria dito

Resultado de imagem para eu teria ditoEu teria dito,
O que tu quisesses ouvir
Se tu  ficasses
Se tu me desses motivos
Para sorrir.

Eu teria dado
Tudo de mim
Se tu fosses o tal
E não
Só mais uma passagem
Ruim.

Eu  teria ouvido
Tudo o que me
Quisesses dizer,
Se tu não fosses cruel
Se me desses
Vontade de viver.

Eu teria ficado
Mesmo contrariada
Ao teu lado,
Mas tu preferiste
Assim,
Um passado
Mal acabado.

Eu teria,
Eu fazer-te-ia
Mais feliz
Mas foste tu
Quem não quis.

Talvez depois

Resultado de imagem para talvez depoisTalvez depois
Do adeus
Eu queria voltar,
Talvez depois de sofrer
Eu volte a amar,
Talvez depois de sentir
Eu aprenda a sorrir.

Talvez depois,
Agora não...
Estou tão bem assim
Não quero um fim,
Apenas o perdão.

Talvez depois,
Depois, mais tarde
Eu queria acreditar,
Que a felicidade
Existe,
E uma grande
Vontade de sonhar.

Talvez agora,
Não depois...
Quero estar
Ao teu lado
Só tu e eu,
Só nós os dois.

Talvez depois...

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Eu sabia

Resultado de imagem para tu irias cair inanimadoNão me interrogues
Quanto ao porquê,
Mas eu sabia,
Eu sei que me virias
Buscar,
Que olhando
Em meus olhos
Recordarias o passado
Ficarias a meu lado,
E me irias continuar
A amar.

Eu sabia
Que não te tinhas esquecido,
Mas pensei
Só por pensar
Que por nenhum bom motivo,
Eu para ti,
Tinha morrido.

Mas não,
Eu não sabia,
Que olhando o meu presente,
Irias estar no meu futuro,
Não sabia
Que desta vez me olhavas
Com ar de satisfeito
Com um orgulho proeminente
E aí,
Naquele momento
Tu irias cair inanimado
Junto de mim,
Não querendo admitir,
Com vontade de fugir,
Eu, fui o teu fim.